Assine Guia do Estudante ENEM por 15,90/mês
Continua após publicidade

“O Filho do Homem”: entenda a pintura de René Magritte

Não adianta buscar sentido: a mágica do surrealismo está justamente na ausência dele

Por Redação do Guia do Estudante Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
5 May 2023, 14h14

Ainda que René Magritte tenha sido o principal nome do surrealismo na Bélgica, ele foi expulso do movimento em 1947 pelo escritor francês André Breton, seu fundador. Terminada a Segunda Guerra Mundial, o pintor adotara em sua obra uma temática otimista, chamada por ele de “surrealismo a pleno sol”, o que Breton achava pouco condizente com seu manifesto.

Magritte não buscava uma experiência transcendente por meio da exploração do inconsciente, uma das bases do surrealismo, mas sim da quebra das convenções da realidade. Assim, para expressar os misteriosos níveis de experiência além da aparência, mudava a ordem convencional dos objetos, criava novas figuras e redefinia as relações entre palavras e imagens.

+ Vanguardas Europeias: resumo, dicas e questão comentada

A questão do visível e do oculto foi muito trabalhada pelo pintor. Um de seus quadros mais conhecidos, O Filho do Homem (1964), trabalha essa temática de modo a incomodar o observador. Na obra, um homem está vestindo sobretudo e chapéu-coco; atrás dele se podem ver um muro e, ao fundo, o mar e o céu. O rosto está praticamente coberto por uma grande maçã verde que paira no ar.

Como os demais surrealistas, Magritte dizia que não se devia buscar nenhuma significação metafórica em suas obras. O mistério de suas imagens estaria exatamente na ausência de sentido: “Minhas pinturas são imagens visíveis que não dissimulam nada: elas evocam mistério, e, de fato, quando alguém vê algum de meus quadros, pode fazer esta simples pergunta: “O que isso quer significar?”. Isso não significa nada, porque o mistério tampouco o significa, ele é irreconhecível”.

Continua após a publicidade

O Filho do Homem, René Magritte
Técnica – Óleo sobre tela
Tamanho – 116 x 89 cm
Local – Coleção particular

Esse texto faz parte do especial “100 Obras Essenciais da Pintura Mundial”, publicado em 2008 pela revista Bravo!

Compartilhe essa matéria via:

 Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso PASSEI! do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a todas as provas do Enem para fazer online e mais de 180 videoaulas com professores do Poliedro, recordista de aprovação nas universidades mais concorridas do país.

Busca de Cursos

Continua após a publicidade
Publicidade
“O Filho do Homem”: entenda a pintura de René Magritte
Repertório Cultural
“O Filho do Homem”: entenda a pintura de René Magritte
Não adianta buscar sentido: a mágica do surrealismo está justamente na ausência dele

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se você já é assinante faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

DIGITAL
DIGITAL

Acesso ilimitado a todo conteúdo exclusivo do site

A partir de R$ 9,90/mês