Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Como é feita a prova do Enem?

Saiba como a prova mais popular do Brasil é montada e quais os seus critérios de correção

Por por Thais Matos Atualizado em 16 Maio 2017, 13h36 - Publicado em 1 out 2015, 18h28

O Enem é a prova pré-vestibular mais longa e decisiva do país. Justamente por isso, ela gera medo e ansiedade em quem está se preparando para encará-la. Saber como o Enem é feito pode ajudar a deixá-lo menos assustador. Por isso nessa matéria, mostramos como a prova é montada, desde a escolha das questões até a atribuição de valores.

Elaboração das questões
Professores de várias universidades do país elaboram questões das quatro áreas do conhecimento (Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Códigos e Matemática). Depois, essas perguntas são revisadas pelo Inep, para em seguida, comporem o pré-teste.

>> Vale a pena chutar no exame?

Pré-teste das questões

O MEC realiza uma prova semelhante ao Enem com alunos do ensino médio da rede pública. O chamado pré-teste é composto por 45 questões, diferentes entre si. Após o teste, as questões entram para o Banco Nacional de Itens, que hoje tem mais de 10 mil questões.

Curiosidade: como o processo é extremamente sigiloso, os alunos não sabem que a prova que estão fazendo é parte do processo de montagem do banco de questões que compõem o Enem.

A régua
De acordo com o resultado do pré-teste, as questões recebem graus de dificuldade. Cada grau representa um número a partir de zero. A partir desses números, é montada uma régua. As perguntas são dividias entre fáceis, médias e difíceis. As médias ficam mais ou menos na marca de 500 pontos; as fáceis, abaixo dela; e as difíceis, acima.

Curiosidade: Não existe nota zero na prova objetiva, pois a nota mínima corresponde ao ponto da régua abaixo da questão mais fácil, e a nota máxima (que pode passar de 1000, como vimos na prova de matemática em 2015), à posição da questão mais difícil.

>> 5 erros que você deve evitar para não ter nota baixa na redação

Montagem da prova
Para montar a prova, o MEC seleciona 45 questões de cada área, que precisam medir o domínio das competências, habilidades e conteúdos previstos na matriz de referência do Enem. O conjunto de questões de cada área precisa equilibrar o grau de dificuldade das perguntas – 25% fáceis, 50% médias e 25% difíceis.

Curiosidade: como um dos objetivos do Enem é diferenciar o grau de conhecimento dos candidatos, as questões que apresentaram alto nível de acertos ou erros durante o pré-teste são descartadas.


As notas

As notas são calculadas com base na Teoria de Resposta ao Item (TRI). A TRI avalia não só o número de questões acertadas, mas também o grau de dificuldade delas e a coerência e consistência dos acertos durante da prova.

Curiosidade: mesmo com números iguais de acertos, duas pessoas podem ter notas diferentes de acordo com o nível das questões acertadas (se fácil, médio ou difícil) e com a consistência desses acertos (errar muitas fáceis e acertar muitas difíceis não apresenta coerência, pode configurar chute a valer menos pontos).

Continua após a publicidade
Publicidade