Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Dicas do que fazer dias antes da prova do Enem

Relaxar, comer direito e descansar é essencial na véspera da prova

Por Mariana Nadai Atualizado em 1 nov 2018, 12h04 - Publicado em 1 nov 2018, 11h41

A prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) está chegando e com ela uma grande dúvida paira na cabeça dos estudantes: o que fazer antes do Enem? Será que pode estudar? Vale a pena varar a noite revisando algum conteúdo? Ainda dá tempo de treinar a redação?

De acordo com o educador e especialista em Enem, Mateus Prado, agora é hora do estudante relaxar. “Sair, ir ao cinema com amigos, namorar… se livrar aos poucos da rotina de estudos e focar em descansar. Isso é essencial para garantir que a pessoa chegue descansada para fazer a prova”, diz Prado.

  • Outra dica importante do educador é aproveitar a semana para acostumar a rotina com o horário da prova. O estudante tem que acostumar o corpo a levantar cedo, almoçar mais cedo, tudo para não fazer uma mudança brusca no dia do exame. “É importante lembrar que entramos no horário de verão. Muitas pessoas farão a prova ao meio-dia. Para elas, é muito importante acostumar, por exemplo, a almoçar às 10h30”, explica Mateus Prado.

    Para a orientadora educacional do Colégio Doze de Outubro, Leda Yara Mello de Moraes, de fato agora é hora de deixar o estresse de lado. Estudos nem pensar! “O estresse é o grande responsável pelo famoso “branco” antes ou durante a prova. Por isso é importante saber relaxar. Exercícios de respiração são muito bons”, diz a orientadora. Ela ainda complementa: “não vale a pena rever matérias que não sabe, para não entrar em pânico. O que o estudante pode fazer, caso não consiga ficar sem estudar, é pensar na redação, em como organizar o texto”, aconselha Leda Yara Mello de Moraes.

    A orientadora também indica que no dia antes da prova, os estudantes confiram o local onde farão o exame, aproveitem para ver como farão para chegar até lá. Separar o documento de identidade e as canetas pretas feitas em material transparente é imprescindível. “Tudo isso é importante para manter a calma, evitando qualquer tipo de contratempo e estresse. Calma e relaxamento só favorecem para que o estudante faça uma boa prova”, diz.

    Continua após a publicidade

    Alimentação e exercícios

    Essa não é uma semana de experimentar alimentos novos ou mudar a rotina da alimentação. Já pensou passar mal dias antes ou durante o Enem? “Não pode comer algo que não é usual, para não passar mal durante a prova”, explica Leda Yara.

    E, no dia do Enem, nada de comida pesada. A macarronada da mãe? Fique longe! “Muito carboidrato deixa o metabolismo mais lento, o que pode trazer sonolência na hora da prova. O melhor, no almoço do dia do Enem, é comer um grelhado, salada e um pouco de grão”, orienta o educador Mateus Prado.

    Além de comer bem, fazer exercícios físicos é essencial. A prova do Enem é muito extensa, é um treino de resistência, que o estudante pode conseguir alcançar com uma rotina de exercícios. “Ainda dá tempo de conseguir um pouco mais de resistência física. Caminhar todos os dias é um ótimo exercício, inclusive antes da prova. Além de ajudar na resistência, estudos comprovam que caminhar aumenta a concentração”, comenta Prado. Mas, nada de fazer caminhadas, ou outros tipos de exercícios, com pessoas que também vão fazer o Enem, para não gerar um nervosismo conjunto.

    Durante a prova

    Cada um pode fazer a prova como quiser. Quem treinou o ano todo, fez muitos simulados, já deve estar craque em fazer o Enem, por isso o melhor é manter a maneira que está acostumado a fazer a prova.

    Mas, para quem não faz ideia de como fazer o Enem, por onde começar, quanto tempo dedicar em cada questão, o educador Mateus Prado dá a dica. “Procure responder as questões que você tem certeza que sabe e depois voltar para aquelas que teve dúvida. No dia da prova de redação, comece o exame lendo o que é pedido na prova, entenda bem qual o tema proposto e depois faça as questões objetivas. Novamente, responda as perguntas que tem total conhecimento. Volte para a redação, escreva o seu texto e, por último, retorne para as questões objetivas que tinha dúvida”, orienta Prado. Desta forma, você garante que respondeu todas as questões que tinha certeza que sabia.

    Lembre-se, a redação é dissertativa-argumentativa. Esse texto deve ter uma tese que você vai defendendo com os seus argumentos ao longo dele. Na conclusão, é importante apresentar uma solução para o problema proposto pela prova. Essa solução deve ser ética e não infringir os direitos humanos, além de ter sentindo com a argumentação proposta. Boa sorte!

  • Continua após a publicidade
    Publicidade