Assine com até 65% de desconto

Enem 2013 já registra mais de 3,5 milhões de inscritos

Candidatos têm 27 de maio para realizar a inscrição

Por da redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h48 - Publicado em 21 Maio 2013, 13h10

Após mais de uma semana do início das inscrições, o Enem 2013 já soma mais de 3,5 milhões de inscritos. Os candidatos têm até as 23h59 da próxima segunda-feira (27) para se registrar no exame (não haverá prorrogação deste prazo). As inscrições devem ser feitas apenas no site do Enem.

São Paulo é o estado que registrou o maior número de inscritos até o momento, mais de 560 mil. Seguido de Minas Gerais, com mais de 373 mil, e Rio de Janeiro, com mais de 274 mil.

Sobre a inscrição
Para realizar a inscrição, o estudante precisa informar o CPF, preencher o questionário socioeconômico e pagar a taxa de R$ 35,00 até 29 de maio. Estão isentos os concluintes do ensino médio em 2013, matriculados em escola da rede pública declarada ao Censo Escolar da Educação Básica. Também não precisa pagar a taxa o participante com renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio. 

– Tire todas as suas dúvidas sobre o Enem 2013  

– MEC cria site com passo a passo de como se inscrever no Enem

As provas

O exame terá duração de dois dias e será constituído de uma redação em língua portuguesa e quatro provas objetivas, cada uma com 45 questões de múltipla escolha cobrando conteúdos vistos no Ensino Médio. Veja quais são as áreas de conhecimento cobradas:

Áreas de Conhecimento Componentes Curriculares
Ciências Humanas e suas Tecnologias História, Geografia, Filosofia e Sociologia
Ciências da Natureza e suas Tecnologias Química, Física e Biologia
Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação
Matemática e suas Tecnologias Matemática

No primeiro dia (26 de outubro), serão realizadas as provas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, com duração de 4 horas e 30 minutos, contadas a partir da autorização do aplicador para início das provas. O segundo dia (27 de outubro) terá Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Matemática e suas Tecnologias, com duração de 5 horas e 30 minutos. Cada sala de provas terá um marcador de tempo para os participantes.

Continua após a publicidade

Nos dois dias, será obrigatória a apresentação de documento de identificação original com foto.
Os portões de acesso aos locais de provas serão abertos ao meio-dia e fechados às 13h, horário oficial de Brasília. O MEC recomenda que todos os participantes cheguem ao local até as 12h. Não serão aceitos retardatários. O horário também deve ser cumprido por candidatos sabatistas (aqueles que, por motivo religioso, guardam o sábado); nesse caso, eles ficarão em uma sala para aguardar o início da prova, às 19h.

Os locais de provas serão informados no cartão de confirmação da inscrição e no site do Enem. O participante só poderá solicitar alteração do município em que fará a prova nesse site, durante o período de inscrição.

A correção

O cálculo da nota do Enem tem como base a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Entenda seu funcionamento clicando na imagem abaixo.

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados na página do Inep até o terceiro dia útil após a realização das últimas provas. Os participantes poderão acessar os seus resultados individuais em data ainda não divulgada, também no site do Inep.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou alterações que tornarão mais rigorosa a correção da prova de redação. Segundo ele, as mudanças foram implantadas porque as regras aplicadas anteriormente não mostraram resultado satisfatório.

Confira algumas das mudanças:
– Inserções indevidas no texto (como receita de miojo ou hino de time de futebol) serão zeradas;
– Só serão aceitos desvios gramaticais excepcionais e que não caracterizem reincidência.
– A discrepância de nota dada pelos dois corretores da redação só precisa ser superior a 100 pontos para que ela seja corrigida por um terceiro. Antes, era preciso haver uma diferença de nota superior a 200 pontos. Com isso, a expectativa é que uma a cada três redações vá para um terceiro avaliador – antes, o índice era de aproximadamente 21%.
– Os avaliadores terão mais horas de treinamento para a correção das provas.
– Os corretores precisarão dar justificativa para a nota máxima na redação (que é mil) e para erros gramaticais aceitos (por serem considerados exceção).

LEIA MAIS

– Notícias de vestibular e Enem

Continua após a publicidade
Publicidade