Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Enem 2018: desrespeito aos direitos humanos não vai zerar redação

O item, que aparecia em editais anteriores, foi vetado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em novembro de 2017

Por da redação Atualizado em 21 mar 2018, 14h52 - Publicado em 21 mar 2018, 12h40

O edital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, publicado nesta quarta-feira (21) no Diário Oficial da Uniãonão lista mais o desrespeito aos direitos humanos como fator que pode zerar a redação.

O item, que aparecia em editais anteriores, foi vetado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em novembro de 2017 – decisão que já passou a valer para o exame daquele ano. Em entrevista coletiva nesta quarta, o Ministério da Educação (MEC) afirmou que o edital está cumprindo o que foi determinado pelo STF. 

Trecho referente à redação do Enem 2018 do edital publicado nesta quarta (21) Diário Oficial da União/Reprodução

O edital do Enem diz ainda que “a nota da redação, variando entre 0 (zero) e 1000 (mil) pontos, será atribuída respeitando-se os critérios disponibilizados no Portal do Inep, no endereço enem.inep.gov.br, e na Cartilha de Redação do Enem 2018″, que será publicada posteriormente. 

Mesmo sem ser motivo de anulação, o desrespeito aos direitos humanos ainda podia tirar pontos dos candidatos no Enem 2017. Isso porque a Competência 5 avaliada pela banca corretora na redação dos candidatos envolve “Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos“.

Na Cartilha de Redação do Enem 2017, o texto para essa competência determina:

“É necessário, ao idealizar sua proposta de intervenção, respeitar os direitos humanos, ou seja, não romper com os valores de cidadania, liberdade, solidariedade e diversidade cultural”. 

Tudo indica que os critérios permanecerão os mesmos. Logo, os candidatos devem continuar se atentando à questão dos direitos humanos.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade