Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

10 fotógrafos influentes para você se inspirar

Uma lista para conhecer o trabalho dos maiores ícones da fotografia

Por Luccas Diaz Atualizado em 8 mar 2021, 19h45 - Publicado em 19 set 2020, 10h00

Para se tornar um grande fotógrafo é necessário, além de muito aperfeiçoamento e técnica, estudar o trabalho daqueles que guiaram o caminho até aqui. Afinal, a fotografia é uma arte em constante transformação e, com novas tecnologias surgindo a todo momento, uma nova tendência ou uma nova forma de captura podem surgir do dia para a noite.

Da primeira fotografia da história, tirada no século XIX, até os dias de hoje, com 60 bilhões de novas imagens postadas diariamente no Instagram, alguns nomes se destacaram no meio por introduzirem novas técnicas, por terem um estilo marcante ou ainda por trazerem algo simplesmente novo e fresco para essa emblemática profissão.

Quais seriam, então, os fotógrafos mais influentes da história? É uma pergunta difícil e com variadas respostas, mas que, com certeza, pode ajudar na busca por inspiração ou aumento de repertório. Por isso, o Guia fez uma lista com 10 grandes nomes da profissão para você se inspirar, em que cada um representa uma determinada área da fotografia.

Ansel Adams

Ansel Adams/Reprodução

O estadunidense Ansel Adams (1902-1984) é o principal nome da fotografia de paisagem. Também pintor e músico, Adams se apaixonou pela fotografia logo aos 14 anos quando bateu sua primeira foto no vale do Yosemite (parque que ele registraria frequentemente por toda sua carreira). Sua relação com o meio ambiente sempre foi um dos pilares de sua vida pública e ele era notoriamente conhecido por seu auxílio a ONGs e instituições de proteção ambiental. Também foi o responsável por abrir o primeiro curso universitário de fotografia dos Estados Unidos e o primeiro acervo fotográfico do Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA).

 

Continua após a publicidade

Anne Geddes

Anne Geddes/Reprodução

Se hoje as sessões de fotos com recém-nascidos são uma febre há um nome por trás do sucesso: Anne Geddes. A fotógrafa australiana começou a registrar bebês em 1992, quando ninguém ainda fazia isso, e vendia calendários com as fotos de porta em porta ao lado de seu marido. O sucesso foi instantâneo e em pouco tempo a procura pelas fotos de Anna cresceu. Seu olhar intimista e criativo para os registros vem dos mais de 10 anos com que trabalhou como retratista. A artista já trabalhou ao lado da cantora Celine Dion em um projeto multimídia em que as duas se juntaram para lançar um livro de fotografias e um CD temático.

 

Continua após a publicidade

Annie Leibovitz

Annie Leibovitz/Reprodução

Entre os fotógrafos de celebridades, o nome da estadunidense Annie Leibovitz se destaca. Conhecida pelo seu toque fantástico e teatral, a fotógrafa captura celebridades desde os anos 60 é já passaram por suas lentes nomes como Angelina Jolie, Meryl Streep, Adele, John Lennon, o elenco de Game of Thrones e até mesmo a Rainha Elizabeth. Seus registros são sempre bem intimistas e representam a personalidade do modelo de certa forma, sempre com um toque de fantasia. Um dos seus ensaios mais conhecidos foi o que fez em parceria com os parques da Disney, em que colocou celebridades para reproduzirem cenas de contos de fadas clássicos.

 

Continua após a publicidade

Cindy Sherman

Cindy Sherman/Reprodução

Cindy Sherman não gosta de se definir como uma fotógrafa, e sim como uma artista que utiliza da fotografia. Ainda assim, é impossível negar sua importância para o meio fotográfico. Suas fotos são quase sempre protagonizadas por ela mesma – mas não se engane. Em cada registro, a americana interpreta uma personagem diferente que reflete sobre os estereótipos da mulher na sociedade e na mídia americana. Sua obra é frequentemente citada como uma das mais influentes do movimento feminista na fotografia dos anos 70 e um dos seus autorretratos foi considerado uma das fotografias mais caras já vendidas da história, por 2,7 milhões de euros.

 

Continua após a publicidade

David LaChapelle

David LaChapelle/Reprodução

Um dos nomes mais famosos do mundo da fotografia, David LaChapelle é conhecido por suas fotos extremamente coloridas, extravagantes e surreais. Já foi considerado um dos nomes mais influentes da moda e das celebridades, e hoje permeia entre os dois mundos. É perceptível a influência de Andy Warhol em suas obras – e não à toa. O fotógrafo teve seu primeiro trabalho na revista de Warhol e foi apresentado pelo próprio ao seu círculo de amigos influentes. LaChapelle não se limita à fotografia e também dirige videoclipes, já trabalhando com Madonna, Elton John, Britney Spears e Mariah Carey.

 

Continua após a publicidade

Henri Cartier-Bresson

Henri Cartier-Bresson/Reprodução

Considerado um dos fotógrafos mais influentes da história, o francês Henri Cartier-Bresson (1908-2004) presenteou o mundo com sua visão delicada do cotidiano, sobretudo de momentos que geralmente passam despercebidos no dia a dia. Nascido no interior da França, Bresson descobriu sua paixão pela fotografia aos 22 anos, quando fez uma viagem para a África do Sul. Teve, porém, que interromper sua carreira durante a Segunda Guerra Mundial quando serviu o exército francês e foi capturado pelos alemães, só conseguindo escapar na terceira tentativa ao utilizar documentos falsos para voltar ao seu país. Seu estúdio em parceria com os fotógrafos Robert Capa, George Rodger, David Seymour e William Vandivert é um dos marcos da fotografia.

 

Continua após a publicidade

Steven Klein

Steven Klein/Reprodução

Steven Klein é um dos nomes mais influentes da fotografia de moda contemporânea. Suas fotos sensuais e sombrias estampam frequentemente as principais revistas de moda do mundo. A imagética de Klein é fácil de ser reconhecida: elementos que orbitam o cinema, o movimento cyberpunk e o mundo dos fetiches sexuais estão quase sempre presentes. O americano começou sua carreira na pintura, e costuma fluir entre as diferentes áreas da arte. Seu trabalho nos videoclipes de artistas pop como Madonna, Lady Gaga e Rihanna são marcos em sua carreira.

 

Continua após a publicidade

Robert Capa

Robert Capa/Reprodução

Certo dia, Robert Capa (1913-1954) disse a seguinte frase: “Se suas fotos não são boas o suficiente, é porque você não chegou perto o suficiente” e isso diz muito sobre o seu estilo. Fotógrafo de guerra, Capa nasceu na Hungria como Endre Ernő Friedmann, e alcançou o estrelato quando suas 11 fotos tiradas em uma praia da Normandia no chamado Dia D da Segunda Guerra Mundial ganharam o mundo na Revista Life. Nas imagens, Capa registra, há poucos metros de distância, os soldados desembarcando na praia de Ohama. O fotógrafo cobriu tanto a Segunda Guerra Mundial quanto outros conflitos, como a Guerra Civil Espanhola, a Segunda Guerra Sino-Japonesa, a Guerra árabe-israelense e a Primeira Guerra da Indochina. Esta última foi fatal para o fotógrafo que, ao pisar em uma mina terrestre, morreu com a câmera na mão. Um grande ícone para o fotojornalismo.

 

Continua após a publicidade

Sebastião Salgado

Sebastião Salgado/Reprodução

Fotógrafo brasileiro mais famoso do mundo, Sebastião Salgado trabalha há mais de quatro décadas com fotografia documental e humanista. Seus conhecidos registros preto e branco viajaram o mundo e foram expostos nos mais importantes museus de arte. A fotografia de Salgado é regada de registros de trabalhadores comuns, camponeses e indígenas, principalmente no interior dos países. Suas viagens pela América Latina (trabalhando inclusive ao lado do grupo Médico Sem Fronteiras) rendaram seus principais trabalhos e o destaque vão para as fotos feitas na Amazônia. Assim como Henri Cartier-Bresson, o mineiro registra o “instante decisivo” e faz composições muito bem harmonizadas.

 

Continua após a publicidade

Steve McCurry

Steve McCurry/Reprodução

Steve McCurry é o autor por trás de uma das fotos mais reconhecidas do mundo. A imagem de uma garota com olhos verdes expressivos olhando fixamente para a câmera é um clássico da fotografia e um ícone atemporal. A menina de 12 anos chamada Shabart Gula havia perdido os pais em um bombardeio no Afeganistão e concordou em posar para o fotógrafo, se tornando a capa da edição de junho de 1985 da revista National Geographic – e uma das imagens mais marcantes da história. McCurry trabalha principalmente com zonas de guerra em países como Afeganistão, Iraque, Filipinas, Iêmen e Camboja, e exalta a cultura local com um trabalho marcante de cores e luzes.

Continua após a publicidade

Publicidade