logo-ge

Veja estratégias para mandar bem na primeira fase da Fuvest

Calma e concentração são fundamentais no momento do exame, mas outras estratégias também podem dar um empurrãozinho para garantir o seu sucesso

(GE/Guia do Estudante)

Neste domingo (26), 137.581 candidatos realizarão a primeira fase da Fuvest 2018, que seleciona alunos para a Universidade de São Paulo (USP). A prova, aplicada das 13h às 18h (horário de Brasília), é composta por 90 questões de múltipla escolha envolvendo as disciplinas básicas do ensino médio – português e literatura, história, geografia, matemática, física, química, biologia, inglês – e algumas interdisciplinares.

Veja a seguir dicas para aproveitar ao máximo o tempo disponível para a prova:

  • Escolha as disciplinas com as quais tem mais afinidade

Ao contrário do que você fez quando estava se preparando para o vestibular, em que priorizou as disciplinas com maior dificuldade, agora é hora de inverter a história. Coloque sua energia nas matérias em que tem mais facilidade. No início da prova, como você ainda está descansado, levará menos tempo para respondê-las. Além disso, a facilidade e os acertos irão dar mais confiança e segurança para seguir adiante.

“Se começar pelas mais difíceis, vai chegar tão cansado nas mais fáceis que correrá o risco de errar questões que você tem mais domínio”, explica Luis Gustavo Migiolaro, coordenador do Curso Poliedro, de Campinas (SP).

  • Comece do começo

Você já decidiu a sequência de disciplinas que vai responder. Então, dentro de cada uma das áreas, comece do começo. Pode parecer estranho dizer isso. Mas não dá para escolher questão por questão: você iria perder muito tempo. Abra a prova e vá respondendo na ordem em que aparecem. Ficou em dúvida? Faça uma marcação e parta para a próxima. Por mais que você tenha afinidade com a disciplina, é hora de lidar com o tempo. Então não o desperdice.

  • Classifique as questões

Ao se deparar com uma questão que não consegue resolver, sinalize-a como média dificuldade ou grande dificuldade usando sinais gráficos diferentes. Pode ser uma bolinha e um asterisco ou outra maneira que você ache melhor. “As de média dificuldade são aquelas que você sabe, mas que precisa de um tempo maior para organizar o pensamento e respondê-las. As difíceis são aquelas cujo conteúdo você nunca viu”, ensina Alessandra Venturi, coordenadora pedagógica do Cursinho da Poli, de São Paulo (SP). Na hora da resolução, depois das fáceis, passe para as médias, que são as que você tem mais chance de acertar, e deixe as muito difíceis para o final.

  • Não deixe em branco

Jamais deixe de responder uma questão. Se no final não conseguir resolver o exercício, escolha uma alternativa que fique perto do que você chegou ou escolha a melhor por exclusão.

  • Não folheie a prova

Ao pegar a prova, resista, mas não a folheie achando que localizará as questões que você sabe responder. “É uma estratégia errada. O vestibular da Fuvest é contextualizado, tem muita leitura, tabelas, e fica difícil achar essas questões”, alerta Marcelo Dias, coordenador do Etapa.

  • De olho nas respostas

Reserve 30 minutos para passar as respostas para o cartão-resposta (folha óptica). Nesse momento, aproveite para verificar se não ficaram questões para trás. Evite responder a questão e marcar o cartão ao mesmo tempo. Além de desconcentrá-lo, você pode, posteriormente, mudar de ideia e aí será tarde demais, já que a folha não pode ser rasurada.

DICAS GERAIS

ATENÇÃO AOS ENUNCIADOS!

Concentre-se nos enunciados das questões, especialmente quando eles envolverem textos de apoio, gráficos, imagens, tabelas ou mapas. A interpretação atenta desses elementos pode ajudar na elaboração da resposta.

NADA DE RELÓGIO

Desde a edição de 2016, não é mais permitido o uso de nenhum tipo de relógio durante a realização das provas. Assim, você terá que controlar o tempo sozinho, com base apenas nas informações de tempo faltante para o término do exame fornecidas pelo fiscal da sala.