logo-ge

Adiamento e mudanças nos vestibulares: como estudar agora?

Confira dicas para lidar com as alterações nas datas e nos formatos de provas, por conta da pandemia

A pandemia mexeu com os calendários e até mesmo com a estrutura dos principais vestibulares. No caso da Unicamp, por exemplo, o número de questões foi reduzido e o tempo para resolução da prova também diminuiu. Mudanças como essas podem gerar preocupações para os vestibulandos, que ficam em dúvida em como isso deve afetar sua preparação e estudo.

O que muda? Diante dos adiamentos, quais estratégias os estudantes devem seguir para mandar bem no vestibular, mesmo nesse ano conturbado? Para responder essas e outras questões, conversamos com Alfredo Neto, professor e orientador pedagógico da Oficina do Estudante, de Campinas (SP). Confira as dicas do especialista!

Mantenha o equilíbrio

Apesar do ano atípico, cheio de alterações, a maneira de estudar não muda. Em termos de conteúdo, não tem novidades. Mas, com as alterações nas datas e muitas provas remarcadas para meses depois do que previa o calendário inicial, há o risco de o aluno ficar cansado antes da hora, por já ter dado o seu máximo antes do vestibular.

Para evitar esse problema e conseguir manter o bom desempenho no estudo até a semana da prova, é preciso manter o equilíbrio da carga diária de estudos desde já. Nesse sentido, estudar de madrugada e abrir mão das horas de sono necessárias é um erro gigantesco. Neto aconselha que o jovem deve dormir, pelo menos, seis horas.

“Além do cansaço antes da hora, outro ponto é que durante o sono o aluno memoriza o que ele estudou no dia e na semana. O sono é fundamental para a recuperação da energia e para os processos de formação de memória ao longo prazo”, alerta o orientador.

Cuide da ansiedade

A incerteza de retorno às aulas, e todas as dúvidas sobre os vestibulares em meio a um cenário caótico, gera ainda mais ansiedade. Para minimizar esse sentimento, o professor sugere um olhar positivo para o momento (que, sim, é muito complicado): aproveite o prolongamento do calendário.

“Sobre a alteração das datas das provas, se por um lado o estudante tem que tomar cuidado para não chegar cansado na reta final, por outro ele vai ter mais tempo para revisar os assuntos que são vistos ao longo do ano. Inclusive, para correr atrás das matérias atrasadas”, diz.

Outra ferramenta ótima para cuidar da saúde mental é a meditação, que, além de ser eficaz, tem materiais para sua execução de fácil acesso, em aplicativos, livros, podcasts.

Ajuste o seu cronograma de estudos

Segundo o professor, com esse tempo extra que o aluno ganha para cumprir o cronograma de estudos, a maneira mais interessante é estender esse calendário, para ter mais tempo para ver cada conteúdo, conseguindo aprofundar os estudos. Isso tende a gerar um ganho maior do que aumentar o tempo dedicado para a revisão, em que se estuda os temas de forma mais corrida e menos profunda.

Faça simulados, pensando nos novos formatos

Para evitar aglomeração, muitos dos principais processos seletivos mudaram seu formato de dia único, que era aplicado nos anos anteriores, para dois dias. Em alguns, as questões serão reduzidas em número e o tempo máximo para resolução da prova também diminui (no caso da Unicamp, por exemplo, a prova passará de 90 para 72 questões, que terão que ser resolvidas não em cinco, mas em quatro horas).

Diante disso, é importante que o aluno treine os novos formatos antes da prova, por meio de simulados. Neto aconselha para quem está estudando por conta própria e não tem um simulado já pronto no novo formato que pegue uma prova convencional dos últimos anos e procure fazer o número de questões, com o tempo alterado.

Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do curso Poliedro.