logo-ge

Aprenda a organizar seus estudos

Prepare-se física e psicologicamente para o vestibular. Para isso, o primeiro passo é organização. O GE traz sugestões para você criar uma programação que combine com você

 

por Ana Prado

 

“O estudante é um atleta”, diz a coordenadora do curso e colégio Objetivo, Vera Lúcia da Costa Antunes. Alberto Francisco do Nascimento, coordenador de vestibular do Anglo São Paulo, concorda: “O vestibular avalia não só o conhecimento, mas também o fator emocional e físico, que podem sobrepujar o conhecimento”. Então, mesmo soando um clichê pra lá de batido, o vestibular é, sim, uma maratona.

– Como você vai estudar este ano? Professor comenta postura de alunos

O primeiro passo é decidir quais vestibulares você irá prestar, inclusive decidindo se fará as provas do meio do ano ou não – isso definirá o seu ritmo de estudo. Então, faça uma programação e dedique-se o máximo possível para segui-la de perto. “Nós costumamos dizer que a mãe do vestibular não é a inteligência, é a organização”, diz Vera Lúcia.

Se você já prestou vestibular em outros anos e não passou, aproveite para identificar seus pontos fracos. Faça uma lista com problemas identificados no modo como você estudou e realizou as provas no ultimo ano.

Perdeu muito tempo na internet? Não administrou bem o tempo na hora da prova? Anote tudo e pense em soluções para que isso não se repita este ano. Por exemplo, se você demorou muito tempo para terminar a prova de redação, estabeleça a meta de escrever mais textos durante o ano.

– Teste: você é uma pessoa ansiosa? Descubra!

Quem faz cursinho
Se você faz cursinho, receberá orientações e dicas durante as aulas. Mas para compreender o conteúdo e fixá-lo é fundamental reler a matéria e fazer os exercícios em casa. Para Vera Lúcia, o melhor é estudar as matérias no mesmo dia em que teve a aula, aproveitando que o conteúdo está fresco na memória. “Feche a semana estudando tudo o que viu durante as aulas. Se o professor está falando de Ásia, não estude Europa quando chegar em casa. Misturar as coisas não dá certo”.

Se você só faz cursinho, procure aproveitar o dia todo para os estudos. O professor Alberto aconselha: se tem aulas de manhã, estude em casa durante a tarde e a noite. Nos sábados, estude um pouco de manhã e à tarde. A noite está liberada para passeios ou descanso. Os domingos também são dias livres para você, a menos que esteja com o conteúdo muito atrasado.

Quem não está no cursinho nem na escola
Quem pretende estudar por conta própria precisa tomar mais cuidado na hora de organizar suas atividades, dividindo o dia em períodos específicos. A internet é uma aliada que ganha importância especial nesses casos, ajudando a esclarecer dúvidas que possam surgir nas matérias.

 

Quem tem que trabalhar
Para aqueles que trabalham, o segredo é comprar tempo. Almoce por 15 minutos e use o restante do tempo para estudar, por exemplo. E aproveite o tempo que passa no transporte público ou no carro também, ouvindo aulas gravadas, por exemplo. “Sábado e domingo são dias úteis que devem ser usados para o estudo. Eles só não devem ficar até muito tarde acordados. A noite pode ser usada para descansar”, diz Alberto.

 

– Teste: quem é você em sala de aula?

 

E nas férias e feriados?
Nas férias, aproveite as primeiras semanas para descansar. Se for viajar e quiser mesmo levar algum livro, prefira as obras de literatura indicadas em vez das apostilas, porque será uma leitura mais agradável. “Mas nos últimos dias é preciso fazer um aquecimento para voltar à rotina, voltando a estudar devagar”, aconselha Alberto.

A forma como você poderá aproveitar os feriados vai depender do fato de estar em dia ou não com as matérias. Se estiver, pode estudar só no período da manhã, por exemplo, e descansar durante a tarde e a noite. O importante é não deixar de aproveitar o período para estudar pelo menos um pouquinho.

 

Faça!

– Pausas curtas entre uma matéria e outra. Você pode, por exemplo, estudar por 50 minutos cada matéria e descansar por 5 a 10 minutos.

 

 – Fazer simulados e provas passadas, inclusive de vestibulares que você não pretende prestar. Assim poderá ter uma ideia do que precisa ser melhorado. “Essa é uma das coisas mais importantes, porque você consegue avaliar como está indo. Se encontrar questões que não sabe, anote para estudar depois e refaça”, diz a coordenadora do Objetivo. Os simulados do GE têm conteúdo direcionado e você pode gravar seus resultados em um ranking

 

– Ler as obras indicadas. Tentar fazer isso por cerca de meia hora antes de dormir, todos os dias, pode dar certo. E faça da leitura algo prazeroso. “Leia para entender a história, não para decorá-la”, diz Alberto, coordenador do Anglo.

 

– Treinar redação. Para isso, só lendo e escrevendo bastante. “Ler os editoriais do jornal é ótimo para dar fluência na escrita”, diz Vera Lúcia.

 

– Fazer alguma atividade física, como andar de bicicleta, correr, jogar bola. Desde que isso não ocupe muito tempo. “Ir à academia por uma hora, duas ou três vezes por semana, ajuda a liberar o estresse”, diz Alberto.

 

Não faça!

– Deixar matérias de lado por serem “fáceis”, “chatas” ou “difíceis”. Todas elas caem na  maioria dos vestibulares, certo?

 

– Estudar com a televisão, messenger ou telefone ligados. Separe bem o tempo de estudar e o tempo para as distrações.

 

– Estudar até muito tarde e dormir pouco. “Estudar depois de uma noite mal dormida não rende nada”, diz o professor Alberto. Se o sono vem forte durante a tarde, tirar um cochilo depois do almoço é uma boa e até ajuda no aprendizado. Mas nada de passar a tarde inteira dormindo: alguns minutos já bastam. Se mesmo assim o sono persistir, pare um pouco e faça exercícios físicos.

 

– Estudar em grupos. “Estudar é um ato solitário”, acredita Alberto. “Fazer isso em grupo acaba sendo perda de tempo porque as pessoas começam a divagar”. Vera Lúcia concorda: “Estudar em grupo só é bom para tirar dúvidas ou discutir alguns temas”.