Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Aprovados contam como curso online ajudou no vestibular

Saiba como cada um criou a própria rotina para se aprofundar nos estudos

Por Julia Di Spagna Atualizado em 14 mar 2018, 10h22 - Publicado em 13 mar 2018, 18h30

Daniel Gomes Martins, Pedro Lucas Barroso e Roberto Júnior Dias Mendonça foram aprovados em três cursos diferentes espalhados pelo Brasil. Cada um, com suas preferências, afinidades e dificuldades, aprendeu a se adaptar, criar uma rotina e se aprofundar nos estudos.

Todos têm em comum, no entanto, a ferramenta que decidiram utilizar: o Curso Enem do Guia do Estudante. A plataforma online oferece videoaulas com professores do Poliedro, exercícios e acesso a todo o conteúdo das publicações impressas do Guia.

Diferentes rotinas

Daniel, de 19 anos, mora em São Paulo e foi aprovado no curso de física na USP pelo Sisu e em economia na PUC (pelo ProUni) e na UNESP. No começo do ano passado, conseguia se dedicar à preparação para o vestibular em tempo integral: acordava às 7h ou 8h da manhã, estudava em casa até a hora do almoço, descansava um pouco e continuava até as 17h. Entretanto, a partir da metade do ano começou a trabalhar e os estudos ficaram concentrados no período da noite e aos finais de semana.

Com a falta de tempo, o Curso Enem foi uma ferramenta importante ao lhe permitir definir sua própria rotina de preparação. Mas, além de ajudar nos estudos, o curso online ainda o influenciou em algo inesperado: apesar de sempre ter sonhado em cursar economia, Daniel se apaixonou por física graças às videoaulas e escolheu essa graduação.

Pedro Lucas Barroso, de 20 anos, foi aprovado em Medicina no ITPAC (Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos) e passou em primeiro lugar em engenharia civil no CEFET (Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais) pelo Sisu. “Assim que concluí o Ensino Médio em uma escola pública no interior de Minas Gerais, fui para Belo Horizonte me matricular em um cursinho preparatório. Minha rotina era a mesma de vários vestibulandos de medicina: acordava cedo e me dirigia ao cursinho, onde ficava praticamente o dia todo”, conta.

Continua após a publicidade

Ao chegar em casa, Pedro se aprofundava nas matérias com o curso do GE. “No cursinho presencial, sempre ficava perdido em algumas matérias que não conseguia absorver, mas com o Curso Enem eu conseguia rever tudo e eliminar minhas dúvidas”.

Roberto Júnior Dias Mendonça, de 18 anos, foi aprovado em enfermagem na UFS (Universidade Federal de Sergipe). Depois de concluir o ensino médio, em Sergipe, fez um ano de cursinho. Por motivos pessoais, resolveu abandonar as aulas presenciais e estudar pelo Curso Enem e pelas publicações impressas do Guia.

As táticas dos aprovados

“Eu não tinha condições de fazer um cursinho presencial, então tive de me virar sozinho. Comecei a comprar as revistas do Guia e encontrei o curso online para o Enem. Assinei, assisti às aulas e fiz o máximo de exercícios possível”, diz Daniel. Seu cronograma de estudos ficou difícil de seguir por causa da nova rotina imposta pelo trabalho, mas a flexibilidade de um curso online tornou possível cumpri-lo, já que era possível acessar o conteúdo em qualquer lugar por meio do celular.

Já Pedro estudava cerca de 11 horas por dia e combinou o cursinho presencial, o curso online e as publicações impressas do Guia do Estudante. “Eu sempre ficava com alguma matéria atrasada nas aulas presenciais e o Curso Enem, além me ajudar a organizar os cronogramas de estudo, flexibilizava o meu tempo e me ajudava a ter uma rotina produtiva”, completa. A organização teve uma grande vantagem: como não deixava a matéria acumular, tinha os finais de semana livres para descansar e fazer outras leituras.

Por sua vez, Roberto conta que tinha uma técnica para memorizar os conteúdos: fingia dar aulas. Falar as matérias em voz alta e organizar tudo de uma maneira didática ajudava o estudante a assimilar o conteúdo. Para mandar bem na redação, acompanhava sites de notícias e fazia redações com temas que poderiam ser abordados. E, para driblar a dificuldade em matemática e física, investiu um tempo maior na resolução de exercícios.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade