logo-ge

Cinco escritores da Flip para você conhecer

A famosa Festa Literária de Paraty começa hoje; GUIA selecionou romances de autores que participarão do evento para você se preparar para o vestibular

da redação

A oitava edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) começa nesta quarta (04), na cidade histórica do litoral fluminense.

 

Até domingo, nomes como o do ex-presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso e de escritores internacionais de peso como Salman Rushdie e Isabel Allende passearão pelas ruas de paralelepípedos da cidade.

Da literatura aos ensaios críticos, passando por cinema e quadrinhos, a feira é uma ótima pedida para debater e refletir sobre literatura, além de ficar por dentro de temas atuais e de destaque.

Aprender e estudar através de apostilas e livros escolares é importante, mas tão rico quanto é aprender com a literatura.

Por isso o GUIA selecionou cinco livros de autores que passarão pela Flip essa semana, para você relaxar, se divertir e, ao mesmo tempo, ficar por dentro de assuntos da atualidade que sempre caem nos vestibulares: de Cuba ao Irã, da literatura brasileira às ditaduras da América Latina.

 

CUBA

Nunca Fui Primeira Dama, de Wendy Guerra


Wendy Guerra, cubana, publicou o primeiro livro aos 17 anos, já posou nua mais de uma vez e teve de prestar esclarecimentos ao governo cubano por trocar correspondências como seu editor no Brasil. Na Flip, lança Nunca Fui Primeira Dama.

O livro conta a história de Nadia Guerra, uma mulher que tenta encontrar sua mãe, que a abandonara dez anos antes em Cuba. Ao conseguir trazer a mãe de volta à ilha, achará em suas coisas rascunhos de um livro que ela nunca conseguiu publicar sobre Célia Sánchez, secretária pessoal de Fidel Castro, heroína da Revolução Cubana.

Ótimo livro para discutir a revolução e seus efeitos sobre o destino das pessoas. Uma curiosidade: Wendy já foi publicada em oito países, mas não em Cuba, o que a torna vítima do próprio regime que retrata em seus livros.

“Nunca Fui Primeira Dama”. Editora Benvira, 255 páginas, R$39.90

 

– Teste seus conhecimentos sobre Cuba!

 

 

IRÃ


Lendo Lolita em Teerã, de Azar Nafisi

A iraniana Azar Nafisi atualmente é professora de estética, cultura e literatura da universidade norte-americana Johns Hopkins. Quando dava aulas de literatura na Universidade do Teerã, em 1981, foi expulsa por se recusar a usar véu.

Em Lendo Lolita em Teerã, Azar narra a experiência de reunir em sua casa, durante dois anos, sete jovens mulheres iranianas para ler e discutir obras da literatura ocidental, proibidas pelo regime iraniano por supostamente irem contra os preceitos do Islã.

O grupo não só comenta as obras, mas também experiências pessoais, sonhos e medos.

O “Lolita” do título se refere à personagem do romance homônimo de Vladimir Nabokov, uma das obras debatidas pelo grupo. Lendo Lolita em Teerã é perfeito para discutir sobre a questão da mulher do Irã e as interdições culturais e intelectuais do regime.

“Lendo Lolita em Teerã”. Editora Girafa, 504 páginas, R$58

 

 

LITERATURA BRASILEIRA


Clarice,
, de Benjamin Moser


O jovem Benjamin Moser, ainda na faculdade, decidiu entrar em um curso de literatura brasileira, onde conheceu A Hora da Estrela, clássico de Clarice Lispector. A partir dele, sua vida mudou e desde 2005 começou a pesquisar para escrever uma biografia da escritora brasileira.

– Literatura no vestibular: resumo de A Hora da Estrela

Em Clarice, (assim mesmo, com uma vírgula depois do nome) Benjamin narra toda a vida da autora, do nascimento na Ucrânia à vida no Brasil, tecendo relações com as obras que publicava. O livro é ótimo para conhecer mais sobre a autora brasileira e o modernismo no país, capítulo essencial da literatura brasileira.

“Clarice,”. Editora Cosac Naify, 648 páginas, R$79

 

 

Melhores Poemas de Ferreira Gullar, organizado por Ferreira Gullar e Alfredo Bosi


O poeta, crítico de arte, tradutor, cronista, dramaturgo e ensaísta Ferreira Gullar é um dos grandes nomes da literatura brasileira. Seu último grande feito foi ter ganhado em 2010 o Prêmio Camões de Literatura, o mais importante da literatura de língua portuguesa.

O poeta participou do movimento concretista no final dos anos 1950, no Brasil, e logo se juntou à Lygia Clark e Hélio Oiticica, artistas contemporâneos, no movimento neoconcreto.

Melhores Poemas é uma boa maneira de conhecer a obra do poeta e aprender mais sobre a poesia nacional e as tendências modernas e contemporâneas da arte no país.

“Melhores Poemas de Ferreira Gullar”. Global Editora. 290 páginas, R$39.

 

 

AMÉRICA LATINA

A Casa dos Espíritos, de Isabel Allende


A escritora peruana naturalizada chilena era jornalista quando estreou na literatura com A Casa dos Espíritos. No romance, ela conta a história da família Trueba, traçando um panorama do Chile de 1905 a 1975 e nos apresentando personagens como Esteban, latifundiário e senador, e Alba, socialista, de cuja relação nascerá grandes conflitos.

Isabel se utilizou no livro de manuscritos das cartas que escreveu pra seu avô, quando ele estava no leito de morte, retratando angústias e reflexões sobre um Chile sob a ditadura de Augusto Pinochet. É uma ótima maneira de ler sobre o panorama político da América Latina dos anos 70, marcada por ditaduras e luta aberta entre capitalistas e socialistas.

A Casa dos Espíritos”. Bertrand Brasil, 448 páginas, R$59

 

LEIA MAIS

– Confira as análises de importantes obras literárias no site do GUIA!

– Faça o simulado de literatura modernista

– Você é bom em análise literária? Teste-se!