Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Como conciliar as incertezas sobre o fim da pandemia com os estudos?

São muitas dúvidas e é normal ficar apreensivo. Por isso, separamos algumas dicas para te ajudar a lidar com a situação

Por Julia Di Spagna Atualizado em 6 dez 2020, 12h01 - Publicado em 28 ago 2020, 08h36

Com a pandemia da covid-19, as inseguranças antigas, naturais em ano de vestibular, somaram-se às incertezas em relação a tudo que vem acontecendo. É um cenário novo, o que, naturalmente, causa preocupações. Além da dúvida da aprovação, existe agora a dúvida de como serão os vestibulares (com alterações no conteúdo programático e no formato de prova), de quando acontecerão efetivamente os processos seletivos e se o início do ano letivo será como imaginado até então (presencialmente e com integração entre os graduandos). 

Segundo Bárbara Souza, psicóloga do Serviço de Atendimento Psicológico do Curso Anglo, essas incertezas podem prejudicar a dedicação aos estudos, aumentando a ansiedade e provocando uma desmotivação por não se saber bem o que esperar. Também existem as dificuldades em manter um ritmo constante e produtivo no formato online, e a perda da troca de experiências sobre o aprendizado e a preparação, que acontecia no contato com os colegas e os professores. 

“Neste momento, o mais importante é que os alunos entendam que todos estão no ‘mesmo barco’. Ou seja, um novo adiamento nos vestibulares, por exemplo, afetaria todo mundo. O importante é manter um bom ritmo de estudos, pois os processos seletivos não vão deixar de existir (mesmo que sejam adaptados ou eventualmente postergados). Ainda vão cobrar conteúdo, o que privilegia os mais bem preparados”, diz Rodrigo Fulgêncio, diretor de Unidades Escolares do Poliedro. 

Além disso, segundo o especialista, é essencial que o aluno saiba balancear os estudos com o descanso. Nessa situação, em que a casa virou o ambiente escolar, ter uma rotina bem estruturada é primordial. 

Também é bom lembrar que o fim da pandemia, assim como foi seu início, é imprevisível e foge ao nosso controle. “É importante tentar não atrelar a espera pelo fim da pandemia ao preparo para os vestibulares e realização de outros projetos pessoais. A ideia de esperar por isso para retomar é como se esquecer de que a vida está acontecendo”, diz Souza. 

  • Segundo a psicóloga, uma das maiores apreensões dos estudantes tem sido não saber se estão fazendo “o suficiente”. A falta de compartilhamento das experiências cotidianas, especialmente as relacionadas aos estudos e à aprendizagem, pode provocar insegurança em relação à eficiência dos próprios estudos e um sentimento de ser o único enfrentando uma dificuldade. Por causa do isolamento social, o vestibulando pode se comparar imaginariamente com outros estudantes e achar que estão tendo menos dificuldades. 

    Os jovens também temem que as mudanças poderão deixar as provas com um nível maior de dificuldade. Mas Souza ressalta que os grandes vestibulares tendem a manter uma coerência nessa questão e no perfil dos candidatos que buscam para suas instituições. 

    Não perca a motivação

    Às vezes a concentração nos estudos em si é tão grande que o motivo de tanto sacrifício e dedicação é deixado de lado. “O aluno precisa ser constantemente lembrado por que está se esforçando tanto. Conversar com colegas que já estão na faculdade, entrar nas redes sociais para interagir com os universitários e buscar vídeos na internet que mostram mais sobre a vida nesse novo universo ajudam muito a manter a motivação”, diz Fulgêncio. 

    Souza aconselha a reconhecer e valorizar as pequenas vitórias do dia a dia, seja conseguir fazer um exercício mais complexo ou compreender um conteúdo que até então parecia impossível. “Mantenha o foco no aprendizado lembrando que é esse conhecimento que será exigido nas provas ainda que o formato das provas possa sofrer algumas alterações”. 

    Continua após a publicidade

    Além disso, segundo a psicóloga, compartilhar experiências de estudos com colegas é outra forma de se motivar, porque abre a possibilidade de sair do isolamento de maneira cooperativa e empática. Falar sobre como se sente em relação aos estudos e às incertezas vivenciadas para pessoas próximas ajuda muito nesse cenário. 

  • Principais dicas  

    Os especialistas separaram algumas dicas especiais para esse período de incerteza e dúvidas. Confira:

    – Entenda que o momento é passageiro e que tudo vai ficar bem! Algumas adaptações ainda podem acontecer, mas os processos seletivos continuarão existindo e o seu estudo não será perdido; 

    – Converse com sua família e pessoas mais próximas. Nem sempre conseguimos enxergar o cenário como realmente é.  Manter um diálogo transparente pode ajudar a esclarecer as ideias;

    – Ter metas de curto prazo, de preferência semanais, é mais produtivo do que longos planejamentos. Use o final de semana para programar como será a sua semana, quais matérias você irá estudar em cada dia, quantas horas vai se dedicar por disciplina e quantos simulados irá fazer;

    – Aceite que o cenário é atípico, que todos estão sendo afetados e que algumas adaptações na rotina serão necessárias para manter os estudos;

    – Selecione e acompanhe boas fontes de informação para se atualizar em relação às mudanças que ainda possam acontecer nos vestibulares;

    – Organize os elementos dos estudos e da rotina que são passíveis de planejamento, e evite perder tempo pensando nos fatores que fogem do seu controle.

    Dessa forma, você poderá se sentir mais confiante em relação às provas, independentemente das possíveis mudanças, e ficará um pouco mais fácil encarar tudo que está acontecendo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade