logo-ge

Conheça alguns dos fatos mais marcantes da vida de Nelson Mandela

O líder lutou contra o apartheid e evitou uma guerra civil na África do Sul.

As homenagens de hoje para Nelson Mandela são repletas de saudosismo nesse centenário de seu nascimento. O líder da luta contra o apartheid morreu em 5 de dezembro de 2013 e, infelizmente, partiu sem ver seu maior sonho realizado: o fim do preconceito. Mandela, no entanto, deixou sua marca no mundo. Após passar 27 anos na cadeia, conseguiu acabar com o regime racista e liderar a transição política que evitou uma guerra civil na África do Sul.

– 11 negros que influenciaram a política mundial

– Simulado: a luta contra o racismo pela História

A educação é a arma mais poderosa que se

Veja algumas curiosidades sobre a vida de Nelson Mandela, ganhador do Prêmio Nobel da Paz:

– Encrenqueiro de carteirinha: Nelson Mandela nasceu em uma área negra da nação xhosa, no território de Transkei, na África do Sul. Em 18 de julho de 1918, o chefe da tribo dos tembus, Gadla Henry Mphakanyiswa, ou Henry Mandela, teve um de seus 13 filhos – o primeiro com Nosekeni Fanny, a terceira de suas quatro esposas. Nelson foi na verdade batizado como “Rolihlahla”, que na língua tribal significava algo como “puxando um galho de uma árvore”, mas que, coloquialmente, podia ser traduzido como “encrenqueiro”. Ele, sem dúvida, honrou o nome que lhe foi dado.

– O nome “Nelson” foi escolhido por uma professora branca da escola metodista de elite que frequentou. Esse hábito de “ocidentalizar” os nomes dos alunos foi imposto pelos colonizadores, que julgavam os nomes africanos difíceis de pronunciar. Ele foi o primeiro de sua família a estudar, a partir dos 7 anos.

– Sua atuação política começou em 1938, quando entrou na única universidade negra da África do Sul, a Fort Hare. Lá ele conheceu membros do Congresso Nacional Africano (o CNA, fundado em 1912), como Oliver Tambo.

– No primeiro ano da faculdade começou a treinar boxe. Ele considerava esse esporte como “igualitário”, porque, em suas palavras: “dentro do ringue, posição social, idade, cor e saúde são irrelevantes”. Depois que começou a atuar politicamente, nunca participou de uma luta de verdade, seu real interesse estava no treinamento, pois gostava de se manter em forma e isso o ajudava a controlar o estresse.

Nelson MandelaNelson Mandela, em 1950, usando luvas de boxe, um de seus esportes favoritos. (foto: Getty Images)

– A primeira encrenca (por bons motivos) em que Nelson Mandela se meteu aconteceu cedo. No segundo ano do curso de Direito, aderiu ao movimento por melhorias na faculdade e acabou expulso. Em 1942, foi estudar em Witwatersrand. Depois de seis anos, não conseguiu passar nos testes finais e ficou sem diploma (o que não o impediu de advogar).

– Mandela radicalizou a militância pelo direito dos negros após a instituição oficial do apartheid, em 1948. Ele liderou uma campanha de desobediência civil nos anos seguintes e ajudou a consolidar a resistência ao regime como um movimento de massas.

– Leia também: O que você precisa saber sobre o apartheid, na África do Sul

– Nelson foi preso algumas vezes, mas a pior sentença veio em 1964, quando foi sentenciado à prisão perpétua por terrorismo. Foram 27 anos de reclusão, mas nem por isso sua luta diminuiu. Dentro da cadeia escrevia cartas incentivando os companheiros a resistirem.

– A liberdade para Mandela demorou, mas veio.  A pressão internacional e o fortalecimento do movimento negro nos anos 1980 fez com que Frederik de Klerk, então presidente da África do Sul, o libertasse em fevereiro de 1990.

– Foi o primeiro presidente negro da África do Sul, em 10 de maio de 1994, aos 75 anos. Ele foi responsável por unificar o país, evitar uma guerra civil, criar uma nova constituição e consolidar a democracia. Graças a Mandela, o país ampliou o acesso ao saneamento básico e à energia elétrica.