Assine Guia do Estudante ENEM por 15,90/mês
Continua após publicidade

“Espumas flutuantes”: resumo da obra de Castro Alves

Única obra publicada em vida pelo poeta, livro tematiza o amor, o erotismo e o lamento pela chegada da morte

Por Redação do Guia do Estudante Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
24 Oct 2022, 12h08

Espumas Flutuantes foi o único livro de Castro Alves publicado em vida. Doente, sabendo que a morte estava próxima, organizou seus poemas que não pertenciam ao tema da escravidão e publicou-os em 1870. O livro reúne 53 textos, entre eles versões de poesias de autores como o francês Victor Hugo e o inglês Lord Byron.

Nesta obra, as características de Os Escravos também estão presentes: as imagens e a menção a elementos grandiloquentes da natureza (como mar, céu, tufão, sol), a presença abundante de recursos retóricos (largo uso de reticências e exclamações e figuras de linguagem como antíteses, hipérbatos, anáforas e apóstrofes). Enquanto no outro predomina a poesia de cunho social, aqui o principal tema é o amor. Ao retratá-lo, Castro Alves segue caminhos diferentes dos poetas das gerações anteriores: em vez do amor espiritualizado de Gonçalves Dias ou do onírico de Álvares de Azevedo, retrata suas musas com sensualidade quase erótica, em cenas em que demonstra maturidade no trato do feminino.

+ Tudo sobre o Romantismo

As biografias do poeta mostram que a inspiração para muitos desses versos vem do romance com a atriz portuguesa Eugênia Câmara. Suas experiências e inspirações amorosas refletem-se, por exemplo, em Boa-Noite (“Mulher do meu amor! Quando aos meus beijos/ Treme tua alma, como a lira ao vento,/ Das teclas de teu seio que harmonias,/ Que escalas de suspiros, bebo atento!”), Adormecida (“Uma noite, eu me lembro… Ela dormia/ Numa rede encostada molemente…/ Quase aberto o roupão… solto o cabelo/ E o pé descalço do tapete rente”) e Hebreia (“Sim, fora belo na relvosa alfombra,/ Junto da fonte, onde Raquel gemera/ Viver contigo qual Jacó vivera/ Guiando escravo teu feliz rebanho…”), três dos melhores poemas.

Continua após a publicidade

Para o crítico Antonio Candido, Castro Alves, provavelmente por causa da inexperiência, deixou muitos versos de gosto duvidoso, sobretudo pela busca nem sempre eficaz da rima ideal, o verbalismo sem nexo em que por vezes incide. Mas, quando bem-sucedido, o poeta é capaz de apontar tendências parnasianas – no rigor da forma, nas descrições plásticas e precisas, nas imagens escultóricas e nas referências a elementos do mundo greco-romano.

Mas ele recebeu influências decisivas da geração ultrarromântica: a subjetividade, a paisagem que se incorpora aos dotes da amada ou do amante, os sentimentos impulsivos e explosivos. Admirava profundamente Byron, de quem também aproveitou a veia satírica, a exemplo de Álvares de Azevedo na segunda parte de Lira dos Vinte Anos.

Igualmente byroniano é o gosto pelo tema da morte, que não deixou de integrar Espumas Flutuantes – mas sem o tom dos ultrarromânticos. Castro Alves trata de temas comuns aos seus contemporâneos, mas sem copiá-los. Na verdade, ele “modelou as descobertas fundamentais do romantismo”, segundo Candido. Para o poeta, a morte era a interrupção de uma vida brilhante e de prazeres: “Morrer… quando este mundo é um paraíso,/ E a alma um cisne de douradas plumas:/ Não! O seio da amante é um largo virgem… Quero boiar à tona das espumas” (Mocidade e Morte).

Continua após a publicidade

Título: Espumas Flutuantes
Autor: Castro Alves

Esse texto faz parte do especial “100 Livros Essenciais da Literatura Brasileira”, publicado em 2009 pela revista Bravo!

 Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso PASSEI! do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a todas as provas do Enem para fazer online e mais de 180 videoaulas com professores do Poliedro, recordista de aprovação nas universidades mais concorridas do país. 

Busca de Cursos

Continua após a publicidade
Publicidade
“Espumas flutuantes”: resumo da obra de Castro Alves
Estudo
“Espumas flutuantes”: resumo da obra de Castro Alves
Única obra publicada em vida pelo poeta, livro tematiza o amor, o erotismo e o lamento pela chegada da morte

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se você já é assinante faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

DIGITAL
DIGITAL

Acesso ilimitado a todo conteúdo exclusivo do site

A partir de R$ 9,90/mês