Assine com até 65% de desconto

Fact-checking: conheça 5 agências de checagem de notícias

Está em dúvida se uma informação é verdadeira? Vem ver como tirar a prova

Por Letícia Albuquerque Atualizado em 16 nov 2020, 19h16 - Publicado em 22 nov 2020, 06h16

Governos, empresas de tecnologia e plataformas de redes sociais se empenham para criar mecanismos de defesa contra as notícias falsas, mas as fkae news seguem causando estragos especialmente em períodos de eleição.  

Além de acesso à alfabetização midiática, para fugir das ciladas da desinformação é útil escolher uma agência de checagem de notícias antes de compartilhar conteúdos na internet.  O GUIA preparou uma lista com as alguns dos veículos que se dedicam à verificação. 

Agência Lupa

Fundada em 2015, a Agência Lupa é considerada a primeira agência de fact-checking criada no Brasil. E apesar de ser incubada no site da Folha e do UOL, a Lupa afirma que não tem vínculo editorial com essas empresas. A agência é membro do International Fact-Checking (IFCN), fundado pelo Poynter Institute, uma organização de jornalismo sem fins-lucrativos dos EUA. Por isso, sua metodologia e código de princípios são compartilhados com a IFCN e outras agências de checagem ao redor do mundo.

A Lupa tem nove etiquetas para classificar as notícias. Entre elas: “falso”, “verdadeiro”, “contraditório” (quando a informação divulgada é contraditória à outra difundida pela mesma fonte anteriormente), “ainda é cedo para dizer”, “insustentável” e “de olho”, quando o conteúdo está em monitoramento.

Aos Fatos

Também fundada em 2015, Aos Fatos acredita no jornalismo independente e conta com o financiamento de apoiadores, como em um crowdfunding. A escolha dos conteúdos a serem checados divide-se entre uma informação vinda de uma autoridade pública ou com alto engajamento nas redes sociais. Depois de encontrarem a origem da informação, os jornalistas da equipe consultam fontes que podem estar envolvidas. Por fim, toda a informação é contextualizada e divulgada no site com um dos setes selos da organização. 

Desde 2016, Aos Fatos segue o código internacional de princípios e condutas estabelecidos pela IFCN. Os compromissos estabelecem que a análise deve ser feita de forma apartidária e transparente – tanto em relação a seu método, como de seu financiamento.

Continua após a publicidade

Fato ou Fake

O serviço de checagem oferecido pelo grupo Globo, apura notícias que estão sendo muito compartilhadas nas redes sociais. A partir daí, os jornalistas investigam a origem da notícia e se as imagens se referem ao noticiado. A checagem é feita por meio de apuração criteriosa. São utilizados três selos após a apuração: “fato” (conteúdo totalmente verídico), “não é bem assim” (quando o conteúdo está incompleto, exagerado ou parcialmente verdadeiro, exigindo mais contextualização) e “fake” (quando o conteúdo não se baseia em fatos comprovados).

O Fato ou Fake também tem um bot que permite a verificação da informação por WhatsApp. Os usuários podem enviar links, textos, imagens ou áudios para tirar dúvidas e saber se são verdadeiros ou não.

Comprova

Já o Comprova é uma iniciativa de jornalismo colaborativo para combater a desinformação. Reunindo 28 jornalistas de diferentes veículos de comunicação,a  iniciativa é financiada pelo Google News Initiative e pelo Facebook Journalism Project. As plataformas, então, ampliam os resultados das checagens. Entre os parceiros estão Estadão, Exame, Nexo e Nova Escola. E a verificação das informações é checado por, pelo menos, 4 redações diferentes, em um método conhecido como cross-checking. Dessa forma, todos os parceiros e jornalistas estão comprometidos de investigar e checar os fatos ou fakes.

O Comprova também tem um WhatsApp em que você pode enviar dúvidas sobre notícias que viu pela internet.

FactCheck.org

O FactCheck é focado em entregar notícias verdadeiras sobre a política norte-americana. Fundado em 2003, eles foram a primeira organização de checagem da forma como conhecemos. As suas checagens, no entanto, acompanham apenas as declarações de políticos dos EUA. Eles são parte de um projeto da Universidade da Pensilvânia e não tem fins lucrativos. Além disso, são formados por uma equipe não-partidária.

Bônus: Vaza, Falsiane!

O curso gratuito criado por três jornalistas e professores universitários vai te ajudar a identificar e fugir das fake news. O projeto surgiu depois dos amigos estudarem a fundo o tema. São dois módulos descomplicados e até divertidos para te fazer entender os perigos das fake news. Além disso, você vai aprender a identificar as notícias falsas ou duvidosas e a compartilhar apenas notícias confiáveis.

Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do Poliedro, que é recordista em aprovações na Medicina da USP.

Continua após a publicidade
Publicidade