logo-ge

Gif mostra como a medicina estudava o cérebro e os olhos no século 16

O livro foi publicado em 1583, e é importante para a história da Medicina por várias razões

Imagem: DukeLibraries/TumblrImagem: DukeLibraries/Tumblr

Não, essa não é uma edição de um livro de colorir antiestresse para adultos. 😉 O gif acima mostra a obra de Georg Bartisch, Oφθαλμοδουλεια (que virou Ophthalmodouleia na forma latina) e foi divulgado pelo tumblr das bibliotecas da Universidade Duke, dos Estados Unidos. Essa palavra de origem grega tem, como um de seus significados, “a serviço dos olhos”. O livro foi publicado em 1583, e é importante para a história da Medicina por várias razões. Uma delas é que é um dos primeiros livros a não estar escrito em latim e sim em alemão, língua nativa do autor, que era da região da Saxonia (atual Alemanha). Foi o primeiro trabalho a sistematizar doenças oculares e a dispor o assunto de forma lógica, começando com a anatomia da cabeça e dos olhos e progredindo para os tratamentos para as doenças mais conhecidas na época (catarata, estrabismo e outras lesões).

Além disso, sua impressão foi bancada totalmente por Bartisch (lembrem que a prensa móvel de Gutenberg tinha surgido há pouco mais de 100 anos apenas e que isso deveria ser bem caro na época). Todas as ilustrações do livro (mais de 90), feitas pelo artista Hans Hewamaul, são baseadas em aquarelas do próprio autor. Ou seja, é o resultado de muita dedicação do especialista. E dá para ver que elas são super bem detalhadas, como o exemplo do gif, com recursos “tecnológicos” bem interessantes para o século 16, como a técnica de sobrepor imagens para permitir que o leitor “disseque” as partes da cabeça ou dos olhos apenas levantando abas de papel.

– Aqui você confere imagens em alta resolução do livro de Bartisch

Foto: Duke University/DivulgaçãoFoto: Duke University/Divulgação

Não se sabem muitas informações oficiais sobre o fisiologista. Georg Bartisch nasceu em 1535 e, sem recursos para frequentar aulas de medicina, se tornou aprendiz de um barbeiro-cirurgião ainda com 13 anos (na época as cirurgias não eram feitas por médicos, mas sim por barbeiros que, amparados por suas lâminas afiadas, faziam desde cortes de cabelo a amputações).  Ele então se tornou um cirurgião especialista em olhos e começou a atender pacientes de forma itinerante, até se fixar como “oftalmologista” oficial do Duque Augusto I da Saxônia.

Só de pensar que a anestesia só foi aperfeiçoada, de fato, no século 19, dá até medo de pensar nos “métodos” cirúrgicos usados por Bartisch na Idade Moderna, hein?

Foto: University of OklahomaIlustração presente no livro. Foto: University of Oklahoma