logo-ge

Graciliano Ramos: prefeito, jornalista e escritor

Confira parte da biografia do escritor

Um dos 15 filhos de uma família de classe média, Graciliano Ramos nasceu em Quebrângulo (AL), em 27 de outubro de 1892. Fez os estudos secundários em Maceió, onde começou a publicar na imprensa poemas e outros textos. Em 1910, sua família se estabeleceu em Palmeira dos Índios (AL).

Foi para o Rio de Janeiro em 1914 e começou a trabalhar como revisor em jornais. No ano seguinte, em virtude da morte de três irmãos, vitimados pela peste bubônica, retornou a Palmeira dos Índios. Foi prefeito da cidade de 1928 a 1930, e um de seus relatórios de prestação de contas chamou atenção pela qualidade literária. Em 1933, já morando em Maceió, publicou o primeiro romance, Caetés.

São Bernardo surgiu em 1934 e Angústia, em 1936, ano em que foi preso pelo regime de Getúlio Vargas, sob a acusação de subversão. Após ser libertado, fixou-se no Rio, atuando como jornalista e inspetor de ensino. Lançou Vidas Secas em 1938. Morreu de câncer, no Rio de Janeiro, em 20 de março de 1953. O livro Memórias do Cárcere, relato de sua prisão, foi lançado postumamente.

VEJA TAMBÉM

– “Vidas secas” – Análise da obra de Graciliano Ramos

– “Vidas Secas” – Resumo obra de Graciliano Ramos

– “São Bernardo” – Resumo da obra de Graciliano Ramos

– “São Bernardo” – Análise da obra de Graciliano Ramos