logo-ge

MEC quer dobrar número de universitários em dez anos

Ministério da Educação espera que matrículas em cursos superiores somem 10 milhões. Cursos tecnólogos e a distância crescerão mais rápido

da redação*

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou na última segunda-feira (31) que a pasta quer chegar a 10 milhões de universitários em 2020. O número é quase duas vezes maior que o número de matriculados em cursos superiores no Brasil atualmente, 5,8 milhões de estudantes.

“É necessário que pelo menos 50% dos jovens entre 18 e 24 anos cursem a educação superior”, disse Haddad. A última meta estabelecida pelo Plano Nacional de Educação previa que 30% dos jovens de 18 a 24 anos estariam matriculados em universidades em 2011. O Ministério da Educação, no entanto, admite que talvez só chegue a 25%.

Para dar conta do déficit, o ministério pretende reforçar a expansão dos cursos tecnólogos e faculdades a distância. “Nosso esforço, hoje, é para dar mais visibilidade a esse tipo de curso. Em alguns países desenvolvidos, os cursos de tecnologia respondem por mais da metade da oferta no nível superior”, disse.

Atualmente, 17% dos cursos superiores oferecidos no Brasil são tecnólogos, segundo o secretário de educação profissional e tecnológica, Eliezer Pacheco. Nos últimos oito anos, esse tipo de curso cresceu 300%.

De acordo com o censo da educação superior de 2008, que traz o último levantamento oficial disponível, há 5.080.056 matrículas na graduação presencial (412.027 em cursos de tecnologia) e 727.961 na educação a distância. Os cursos presenciais chegam a 24.719 (4.355 de tecnologia) e os da educação a distância, 647.

*Com informações da Agência Brasil

SAIBA MAIS
– Notícias de vestibular
– Notícias de Enem