logo-ge

Ministro anuncia bolsas de pós-graduação para negros

Programa ainda será detalhado. Atualmente, 91 universidades públicas brasileiras têm reserva de vagas para afrodescendentes

da redação

A Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) criará 250 bolsas de pós-graduação para alunos negros ou pardos. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (13), aniversário de 122 anos da Lei Áurea.

Ainda não foram definidos detalhes de como funcionará o programa. Segundo o site da pasta, haverá subsídios para estudantes de "Mestrado e Doutorado admitidos em instituições de Ensino Superior com base em critérios de Ação Afirmativa e oriundos do Prouni".

– UFRJ vota nos próximos meses se terá cotas no vestibular

Atualmente, o Prouni reserva parte de suas bolsas para candidatos autodeclarados indígenas, negros e pardos. O percentual da reserva varia entre os estados, acompanhando a proporção dessas populações segundo o censo do IBGE. No Brasil, apesar de a reserva de vagas não ser obrigatória, 91 universidades públicas têm cotas para estudantes negros.

Segundo o ministro da pasta, Eloi Ferreira, as ações afirmativas "ajudam a corrigir injustiças e distorções históricas.“A promulgação da Lei Áurea não foi acompanhada de uma inclusão educacional, habitacional e isso faz com que até hoje o negro continue na base da pirâmide social”, disse.

Também foi anunciado o lançamento de um selo para identificar as escolas que incluem, em seus currículos, assuntos como história do povo negro e suas contribuições culturais, econômicas e sociais para o Brasil. A entrega dos selos será em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra.

VEJA TAMBÉM

 

– Notícias de vestibular

– Notícias de Enem