Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Professores se sentem envergonhados em falar sobre sexo com alunos

Estudo de instituto britânico mostra que professores ensinam sobre a biologia do sexo, mas pouco sobre relacionamento

Por Redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h39 - Publicado em 28 jul 2010, 14h28

 

Continua após a publicidade

da redação

 

Continua após a publicidade

Alguns jovens não estão recebendo aulas adequadas de educação sexual porque seus professores consideram o assunto embaraçoso.

Foi a essa conclusão que pesquisadores do instituto britânico Ofsted chegaram ao analisar o ensino em 92 escolas primárias e 73 secundárias na Inglaterra entre setembro de 2006 e julho de 2009.

Segundo o relatório, os jovens dizem ter recebido as informações sobre sexo “tarde demais” e ainda assim o que foi ensinado não foi muito útil.

 

Continua após a publicidade

De acordo com o diretor nacional do Ofsted, Simon Blake, o estudo reforça o que já era alertado pelos estudantes há anos.

“É vital que aulas de sexo e relacionamentos sejam obrigatórias no currículo e que os professores sejam especialmente preparados para falar sobre isso. Os jovens precisam ouvir sobre relações humanas, não apenas sobre a biologia da reprodução”, afirmou o diretor.

Álcool e drogas
O estudo também concluiu que os jovens não foram devidamente alertados sobre os efeitos prejudiciais do álcool e das drogas. Em metade das escolas secundárias os alunos não tinham conhecimentos suficientes sobre os efeitos sociais e psicológicos do abuso de álcool.

 

Continua após a publicidade

– Nos Estados Unidos, um em cinco estudantes de Ensino Médio fuma

Nessas escolas os estudantes pensavam que heroína e cocaína eram as drogas que mais matavam por ano, quando na verdade o número de mortes atribuídas ao tabaco e ao álcool é bem maior.

– Leia o artigo no site do The Independent (em inglês)

LEIA TAMBÉM
– Notícias de vestibular
– Notícias de Enem

Continua após a publicidade
Publicidade