logo-ge

Qual a melhor forma de fazer provas e simulados online?

Embora seja semelhante ao formato tradicional presencial, é preciso tomar alguns cuidados para aproveitar a experiência e conseguir bons resultados

O ensino a distância imposto pela pandemia trouxe uma série de desafios para a vida dos estudantes. Realizar qualquer atividade educacional online exige preparação e postura diferentes. Na hora de treinar e testar seus conhecimentos em um simulado ou prova, não é diferente. 

Para essa experiência funcionar é preciso se preparar, tanto em termos psicológicos quanto técnicos.

Por isso, conversamos com Rodrigo Fulgêncio, diretor de Unidades Escolares do Poliedro, e com Adriano Guimarães, CEO da Prova Fácil, plataforma de gestão de avaliações e especialista em educação, para ajudar você nessa nova realidade.

“Local de prova”

Além de conteúdo e concentração, o estudante precisa de uma preparação adicional e uma estrutura específica para a realização do exame. “Com a prova online, podemos dizer que a necessidade de estar preparado é ainda maior”, diz Guimarães.

Em primeiro lugar, é importante escolher um local silencioso, se possível, em que você tenha privacidade e consiga se concentrar, sem interrupções. “Nesse sentido é fundamental deixar clara, para todos que dividem o mesmo espaço físico do aluno, a importância da prova, simulado ou avaliação e suas características (duração, possibilidade ou não de consulta a site, se é permitido diálogo com colegas ou não etc.)”, afirma Fulgêncio. 

O diretor explica que também é importante garantir uma boa conexão de internet. Uma sugestão é evitar abrir muitas abas do navegador ao mesmo tempo, o que pode sobrecarregar o sistema e deixar as conexões mais lentas, além de acarretar distrações. Feche todas as redes sociais e sites desnecessários. E não se esqueça de deixar o carregador ou a fonte sempre por perto, para evitar imprevistos. 

Veja também

E os materiais de apoio?

Tudo depende do objetivo do exame e das orientações do professor responsável pela aplicação.  

No caso de uma avaliação escolar, seja de Ensino Médio ou Ensino Fundamental, em geral as provas servem principalmente para verificar conhecimento prévio do aluno e se ele está alcançando os objetivos propostos pela disciplina. Talvez os professores permitam consultas para uma dinâmica específica.

Se for um simulado de vestibular, por exemplo Enem ou Fuvest, a consulta de outros materiais já não faz sentido, pois perde-se o objetivo de simular a realidade da prova e ter um diagnóstico real dos conhecimentos do estudante. “O maior prejudicado nesse caso vai ser o próprio aluno. O simulado é uma ferramenta pedagógica importante para corrigir os rumos no planejamento de estudos e para priorizar as matérias em que o aluno tem dificuldade”, diz Fulgêncio. 

Segundo o diretor, o grande desafio que as escolas enfrentam, no momento, é gerenciar esse tipo de avaliação sem que uma consulta irregular aconteça. Ou seja, nada de cola nem de ajuda dos pais.

Existem ferramentas tecnológicas que ajudam a reduzir essa ação e embaralham as questões, as alternativas e até entregam questões levemente distintas para cada aluno. Outros aplicativos controlam o tempo médio de resposta, por questão, para ver se é compatível com a realidade.

Alguns professores também pedem para os alunos resolverem a prova com a câmera ligada. Porém, nenhuma ferramenta consegue eliminar totalmente a chance que as colas ocorram.  

O importante é ter em mente que ao consultar um material, quando esse não era o intuito da avaliação, você está se sabotando. O prejuízo é seu, você perde a chance de analisar o seu próprio desempenho.

Dicas para a hora da prova

  • Prepare-se como se fosse fazer uma prova presencial. A concentração deve ser a mesma. Não esqueça das estratégias mais eficientes, como começar pelas questões mais fáceis, ficar de olho no relógio e levar a sério a experiência, mesmo que seja um simulado.
  • Escolha um local silencioso e organizado, fique longe de distrações. Esteja sozinho, para que nada tire a sua concentração.
  • Prepare a infraestrutura necessária: cheque se há uma boa conexão de internet, para evitar uma interrupção no meio do exame, teste o computador, prepare a iluminação do ambiente e encontre uma cadeira confortável. Além disso, tenha papéis de rascunho por perto, que podem facilitar na organização do pensamento e dar maior suporte, já que é com esse modelo que você está acostumado nos exames convencionais.
  • Nada de fazer a prova deitado.
  • Informe todos que convivem com você o horário de início e término da prova, para evitar interrupções.

Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do Poliedro.