logo-ge

Qualidade do Ensino Médio evoluiu pouco, aponta avaliação do MEC

Índice criado em 2005 mostra que evolução da qualidade dos ensinos fundamental e médio é lenta

da redação

O Ministério da Educação (MEC) divulgou hoje (1º) o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2009, mostrando que houve avanços lentos nos ensinos fundamental e médio no País.

 

O Ideb do ensino médio passou de 3,5 em 2007 para 3,6 em 2009. Mas atingiu a meta prevista para o período, que era de 3,5 pontos. Já nas séries finais do ensino fundamental, o indicador subiu de 3,8 em 2007 para 4,0 em 2009. A meta para o ano passado era 3,7.

O indicador foi criado em 2005 e funciona como um termômetro da qualidade do ensino público. O Ideb varia de zero a dez e a meta é que o país atinga a nota 6 até 2022.

 

Temos condição de, mantido esse passo, cumprir a cada dois anos as metas de qualidade e chegar em uma situação confortável em 2021", afirmou Fernando Haddad, ministro da Educação.


+ Para eleitores, educação melhorou em ritmo lento no Brasil

+ Enem dará diploma de Ensino Médio para maior de 18 anos que fizer 400 pontos

+ MEC prevê 2,2 milhões de matrículas de adultos em turmas de alfabetização

 

O índice é medido a cada dois anos e há metas estabelecidas para cada período. Ele é calculado com base na nota obtida pelos alunos na Prova Brasil e dos índices de reprovação. A meta prevista para as séries iniciais do ensino fundamental em 2009 era 4,2, resultado que já foi atingido em 2007. A nota 4,6 era a meta prevista para 2011.

O Ideb atribui uma nota para cada escola, assim como para as redes municipais e estaduais, que precisam cumprir metas bienais para melhorar a qualidade do ensino. É a partir dessas avaliações que é calculada a média nacional.

*com informações da Agência Brasil

LEIA MAIS
+ Notícias de vestibular
+ Notícias de Enem