logo-ge

Inscrições para o Fies terminam nesta sexta-feira (2)

Fies havia registrado 443,3 mil inscrições até às 12h desta sexta. No total, serão ofertadas 310 mil vagas

 (GE/iStock)

As inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) terminam nesta sexta-feira (2), às 23h59. O prazo, que acabaria na última quarta-feira (28), foi prorrogado pelo Ministério da Educação (MEC).

Faça sua inscrição no Fies

Segundo o MEC, o Fies já havia registrado 443,3 mil inscrições até às 12h desta sexta. No total, serão ofertadas 310 mil vagas, das quais 155 mil serão para o primeiro semestre.

Para participar é preciso ter feito uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com média igual ou superior a 450 pontos, e obtido nota maior que zero na redação, além de comprovar renda familiar per capita de até 5 salários mínimos. Durante o curso, o estudante deve ter rendimento para ser aprovado em todas as matérias.

O resultado da pré-seleção na chamada única e a lista de espera na modalidade do Fies serão divulgados em 5 de março. Já o da pré-seleção na modalidade P-Fies sairá dia 12 deste mês.

Novas regras

Com novas regras aprovadas em dezembro de 2017, o Fies (agora chamado de Novo Fies pelo MEC) passa a ser dividido em diferentes modalidades, com uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato. O novo programa também traz mudanças na taxa de juros e no prazo para pagamento do saldo devedor e amplia a faixa de renda para os interessados.

A primeira modalidade, com oferta de 100 mil vagas, tem juro zero para estudantes que comprovarem renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos. Os beneficiados também poderão pagar as prestações respeitando o seu limite de renda.

As outras duas modalidades, chamadas de P-Fies, destinam-se a estudantes com renda familiar per capita de até cinco salários mínimos e terão juros variáveis de acordo com o banco onde for fechado o financiamento. Atualmente, a taxa de juros é fixa em 6,5% ao ano. Segundo o ministro da Educação, Mendonça Filho, as taxas devem ficar bem menores.