Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Como o Insper avançou na formação analítica de todos os seus alunos

Alunos se desenvolvem para terem a competência de pensamento computacional à resolução de problemas complexos da sociedade

Por Abril Branded Content Atualizado em 8 out 2021, 22h11 - Publicado em 13 out 2021, 10h00

Instalado na Vila Olímpia, bem perto do coração financeiro e tecnológico da capital paulista, o Insper expandiu sua atuação para além da área de negócios, sem perder de vista a integração do conhecimento e da pesquisa. Os cursos de graduação, disponíveis nas áreas de Administração, Direito, Economia e Engenharias, têm uma experiência de período integral para que os alunos e alunas possam desenvolver suas competências em salas de aula ou nos laboratórios de ponta, utilizados para fomentar projetos que possam atender a demandas reais de empresas.

A qualificação do corpo docente e da sua pesquisa, além do intenso relacionamento com o mercado, faz com que o Insper atue na fronteira do conhecimento nos seus cursos de graduação. Foi assim que a ciência dos dados e a computação emergiram como centrais nos currículos dos cursos. O profissional formado pelo Insper é capaz de lidar com grandes bases de dados fazendo uso de ferramentas de programação, machine learning e inteligência artificial. Os professores têm uma estratégia de ensino que alia teoria e prática, com muitas atividades “mão na massa”. A instituição acredita que os alunos e alunas precisam vivenciar tais experiências de forma integrada, seja em eletivas das trilhas de Empreendedorismo, Ciência de Dados, Internacionalização, Matemática Avançada e Políticas Públicas ou por meio de atividades extracurriculares.

São conhecimentos fundamentais para todas as profissões do futuro. Afinal, como apontou o relatório mais recente do Fórum Econômico Mundial, enquanto muitas atividades perdem relevância no mercado, outras estão em alta, como pensamento analítico, capacidade de resolver problemas, olhar voltado para a inovação, programação e uso de dados, inteligência emocional, criatividade e capacidade de persuasão.

Como lembra o professor Fabio de Miranda, coordenador do curso de Ciência da Computação – que será lançado em breve – a informática vai ser central em praticamente todas as atividades profissionais. “Um economista usa grandes bases de dados, assim como um advogado hoje pode utilizar machine learning para orientar o cliente a respeito das chances de vencer uma determinada causa”, exemplifica.

“Por isso, todos os currículos da graduação do Insper englobam programação e ciência de dados, assim como pesquisas com novas tecnologias, como o blockchain. O profissional do futuro precisa coletar e analisar informações, de forma a ganhar agilidade nas tarefas repetitivas e poder se dedicar a atividades mais complexas.”

Continua após a publicidade

Assim é o Insper, uma instituição de ensino e pesquisa privada, mas sem fins lucrativos. Gerida em proximidade com grandes lideranças do mercado, oferece programas alinhados com as novas exigências do profissional do futuro.

Experiência Insper

 

alunos insper
Insper/Divulgação

“Nossa missão é transformar o Brasil por meio da formação de líderes inovadores”, afirma Guilherme Martins, diretor da graduação da instituição. “Existe um jeito Insper de ser, que concilia ensino e pesquisa e integra diferentes áreas do conhecimento.”

A experiência no campus estimula a criatividade, o compartilhamento de experiências e a capacidade de trabalhar em equipe a fim de desenvolver projetos inovadores. “Combinada ao desenvolvimento de competências socioemocionais, queremos formar administradores, advogados, economistas e engenheiros com conhecimento tecnológico para trazer soluções inovadoras para problemas das organizações”, explica Martins.

“Os estudantes podem participar das mais de 30 associações estudantis que atuam dentro da instituição e contam com suporte institucional, primeiro na transição para o ambiente acadêmico, depois na entrada para o mercado de trabalho.” Há ainda suporte para estudantes que desejam fazer intercâmbio em uma das cem universidades parceiras pelo mundo. A instituição conta ainda com um programa de bolsa de estudos integrais e parciais baseada na renda familiar. Para bolsistas integrais de fora da capital paulista, além da isenção da mensalidade, os estudantes ainda podem residir na Toca da Raposa e contar com uma ajuda de custo”, finaliza Martins.

Continua após a publicidade

Publicidade