Assine com até 65% de desconto

André Mifano, do The Taste Brasil, fala sobre ser chef de cozinha

Chef falou sobre a recente glamourização da profissão de cozinheiro

Por Ana Lourenço Atualizado em 16 Maio 2017, 13h36 - Publicado em 26 ago 2016, 16h33

“Quem é cozinheiro é diferente. Pensa diferente, se movimenta diferente. Costumo dizer que existem os cozinheiros e existem os civis.” É assim que André Mifano define sua profissão. Em seu bate-papo na Arena da Feira Guia do Estudante, nesta sexta-feira (26), o chef e mentor do reality show The Taste Brasil falou sobre como escolheu a área da gastronomia e os desafios da profissão.

“Na época em que eu comecei, não existia essa glamourização da profissão. Não existia cozinheiro na televisão, dando palestra”, disse, referindo-se à recente popularização dos programas e reality shows de culinária. André começou cedo: ainda adolescente, decidiu largar o colégio e apostar suas fichas em algum trabalho que o interessasse mais do que as aulas. Antes de se tornar referência entre os chefs brasileiros, sonhava em ser advogado ou veterinário.

Ele alerta para os perigos de se escolher uma profissão com base na “popularidade”. “Houve uma época em que era sonho de todo mundo ser publicitário, porque achavam que iam fazer grandes propagandas para grandes marcas, como a Coca-Cola. Mas ninguém conta que o dia a dia da profissão é outro, muito mais duro”, explica. Com a profissão de chef não seria diferente: são muito poucos os cozinheiros que se tornam famosos e ganham relevância.

Para André Mifano, quem quer trabalhar com cozinha deve, antes de pensar em prestar o curso de Gastronomia, procurar um estágio em um restaurante, ver de perto o que é a rotina desse profissional e aprender as técnicas que tornam aquele restaurante diferente. “O bom cozinheiro é aquele que serve exatamente a mesma coisa todos os dias, com o mesmo padrão”, explica.

Segundo ele, também, a gastronomia é uma profissão muito prática. “A gente aprende a cozinhar na cozinha de casa, conhecendo sabores, praticando, trabalhando. Para se especializar em uma culinária específica, é só estudar, viajar, treinar, não é necessário fazer um curso de especialização, como seria em uma carreira como a Medicina”, explica.

Sobre a popularização dos reality shows de culinária, Mifano acredita que é função de qualquer chef conhecido influenciar as pessoas para as causas em que acredita. “No nosso caso, devemos apoiar instituições, incentivar a compra de alimentos dos pequenos produtores, desestimular o consumo de industrializados”, diz.

FEIRA GUIA ESTUDANTE
Data: 26, 27 e 28 de agosto
Horário: 9 às 19h
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Amarelo – Av. Otto Baumgart, 1000. Vila Guilherme, São Paulo – SP
Inscrições: Gratuitas. Podem ser feitas aqui ou pessoalmente no evento.

Continua após a publicidade
Publicidade