logo-ge

Como funciona um estágio – e como encontrar a vaga certa

Fazer um estágio é importante para testar áreas diferentes e aprender como tudo funciona na prática

Aula é uma coisa, trabalho é outra e não há nada melhor que um programa de estágio para fazer a ponte entre os dois. 

Esqueça essa história de que estagiários têm que fazer cafezinho. Muito menos servir cafezinho. Um estágio é, por definição, um período de aprendizado. É a melhor maneira de começar a descobrir o mundo profissional, quando é possível testar (e errar) na prática. 

Em 2016, havia 740 mil estudantes do ensino superior estagiando no Brasil. É uma parcela (infelizmente) pequena dos cerca de 8 milhões de universitários matriculados no país.

Mas estagiar segue sendo fundamental. É a chance que jovens têm de experimentar diferentes setores, empresas e ambientes de trabalho antes de se formarem, tudo com mais espaço para explorar. Além de aprender muitas lições valiosas e se tornar um profissional melhor, o estagiário amadurece, amplia seus horizontes, descobre as áreas com que tem mais afinidade e se prepara para começar a vida de formado com o pé direito.

Ao longo deste artigo, o Na Prática explica vários aspectos do estágio, incluindo quais são as regras, como encontrar a melhor oportunidade e o que fazer para se destacar antes e depois da contratação.

E há ainda um ebook especial sobre o assunto, Como Aproveitar Seu Estágio ao Máximo, que você pode baixar gratuitamente!

A lei do estágio no Brasil

A lei brasileira, que vale desde 2008, define o programa de estágio como uma espécie de desenvolvimento profissional supervisionado, que acontece no ambiente de trabalho e prepara os estudantes para o mercado. A lei também formaliza duas modalidades de estágio: obrigatório (exigido pelo curso de graduação para que o aluno se forme) e não obrigatório (opcional, faz quem vê importância na experiência durante a graduação).

A verdade é que o estágio, mesmo quando não é obrigatório, é um diferencial no currículo – e os recrutadores olham com bons olhos quem dedicou tempo a estagiar em mais de um lugar.

Deveres de quem contrata

Aos olhos da lei, quem contrata um estagiário não está formando um vínculo empregatício. O que isso significa? Na prática, a empresa não lhe deve os benefícios sociais previstos pela CLT. Mas ainda tem uma série de deveres a cumprir.

Deve assinar, por exemplo, um termo de compromisso com o estudante e com sua instituição de ensino, oferecer um seguro de acidentes pessoais, ter um um ambiente de trabalho que proporcione aprendizagem social, profissional e cultural e indicar um supervisor, entre outras obrigações. 

Como quem contrata um estagiário deve, por lei, oferecer um orientador e supervisor, todo estágio legal no Brasil é um “estágio supervisionado”. O tempo máximo que os jovens podem passar como estagiários da mesma organização é dois anos e, após doze meses no cargo, têm direito a férias remuneradas.

A Associação Brasileira de Estágios e Ministério do Trabalho e Emprego oferecem cartilhas gratuitas sobre o assunto, que você pode baixar aqui.

Como funciona um programa de estágio

Do mesmo jeito que há inúmeros tipos de organizações, indústrias e setores, estágios também vem em formas variadas: responsabilidades, nível de exposição à liderança, interação com áreas e possibilidade de efetivação variam muito entre uma oportunidade e outra. Por isso é tão importante pesquisá-las e entender melhor o que cada uma oferece.

Empresas de grande porte e órgãos do setor público, por exemplo, costumam ter processos seletivos organizados em diversas etapas, oferecer planos de desenvolvimento profissional estruturados e ter data de início e fim para o período de estágio.

Já empresas pequenas e outros tipos de organizações podem abrir vagas conforme precisam, empregar processos seletivos mais simples e oferecer uma dose maior de autonomia.

A chave para encontrar um estágio que combine com seu perfil é entender o que você quer naquele momento profissional para então filtrar o que está disponível no mercado.

5 conselhos para encontrar o melhor estágio

As dicas a seguir vão te ajudar a decidir sobre qual o melhor momento para buscar um estágio e como encontrar o estágio ideal. Confira:

1. Saiba quando buscar um programa de estágio

Algumas empresas exigem um mínimo de semestres cursados para contratar estagiários. Da mesma forma, não são todos cursos de graduação que permitem que os alunos já busquem um estágio nos primeiros anos.

Assim, embora a máxima “Quantos antes, melhor” faça algum sentido na busca por experiências profissionais, é importante entender qual o melhor momento de buscar um programa de estágio.

Ouça experiências: converse com coordenadores do curso ou alunos veteranos para entender se um estágio no início da faculdade, se permitido, não vai comprometer demais o rendimento acadêmico. Em alguns casos, a experiência pode até potencializar o que é vivido na sala de aula em outros, pode significar notas baixas, noites mal dormidas e reprovações.

Avalie também as demais possibilidades de atividades extracurriculares que podem te desenvolver no início da faculdade, como AIESEC, empresa júnior, iniciação científica, etc.

Se a opção é um programa de estágio pouco estruturado – em que você não sente que vai aprender muito – envolver-se de corpo e alma com uma organização estudantil pode ser mais vantajoso tanto do ponto de vista de currículo como de crescimento profissional.

2. Elabore um currículo atrativo

Aprender a montar o currículo é fundamental, já que esse documento é o primeiro contato entre o recrutador e o candidato.

Para vagas de estágio, a principal dificuldade é criar um currículo quando se tem pouca ou nenhuma experiência profissional. Neste outro texto, apresentamos um modelo ideal de currículo para quem está no começo de carreira.

BAIXE UM MODELO DE CURRÍCULO PARA INÍCIO DE CARREIRA

3. Tenha o que o mercado procura

Compreender melhor o mercado e suas exigências contribui para desenvolver e trabalhar habilidades que, ao mesmo tempo que te interessam, também são valorizadas pelas empresas (ou estarão nessa lista em breve). Segundo o relatório “The Future of Jobs”, divulgado recentemente pelo Fórum Econômico Mundial, até 2020, a demanda será por profissionais com capacidade de resolver problemas complexos e que apresentem pensamento crítico, criatividade, liderança, inteligência emocional, flexibilidade cognitiva, competências de negociação, bem como alta capacidade de julgamento e tomada de decisão.

4. Não atire para todo lado  

Além de acelerar o desenvolvimento de competências bastante úteis na vida profissional, e estágio também é um momento de experimentar, testar diferentes carreiras e entender com que área do mercado você mais se identifica. Ainda que a palavra da vez seja experimentação, certa dose de foco é fundamental.

Busque, por meio do autoconhecimento, entender em quais áreas você gostaria de testar e, a partir daí, escolha para onde vai mandar o currículo. Candidatar-se a toda oportunidade que aparece sem questionar seus objetivos nunca é a melhor estratégia para a carreira.

5. Viva off-line  

Na era em que a busca por emprego é feita on-line, vale a pena fazer diferente e buscar oportunidades fora da internet. Frequentar eventos e palestras de sua área, por exemplo, é uma forma de obter mais conhecimento e, quem sabe, aumentar a lista de networking. Nesses momentos, quem se mostrar aberto a novas experiências profissionais pode encontrar uma boa porta de entrada para um estágio.

Onde encontrar um estágio?

Organizações de qualquer setor oferecem estágios e novidades surgem diariamente, então mantenha seu currículo (tanto no papel quanto no LinkedIn) atualizado. 

Também já fique atento aos meses que concentram as inscrições para processos seletivos de grande porte: em janeiro e entre agosto e outubro.

Vagas de estágio

Para encontrar todo tipo de oportunidade, consulte a listagem organizada pelo Na Prática e também sites como Wall Jobs, 99 Jobs, Vagas.com.br, LinkedIn, Trampos.co e Cia de Talentos. Nesses sites, é possível se cadastrar e receber emails sempre que novos programas ou vagas de estágio surgem.

Também não se esqueça das redes de contato e dos anúncios colados em paredes e pontos de ônibus da faculdade: seu futuro estágio pode estar bem na sua frente.

Como abordar recrutadores?

Se quiser muito estagiar em uma empresa que não está contratando, não desanime: aborde-a mesmo assim, explicando porque ela é tão interessante para seu desenvolvimento profissional e que gostaria de saber sobre oportunidades futuras.

Não sabe exatamente como fazer essa aproximação? O endereço de email da área de Gente ou Recursos Humanos muitas vezes está disponível no próprio site da empresa que você deseja, na seção “Trabalhe conosco”. Enviar uma mensagem com o seu currículo e uma carta de apresentação já é um bom começo (nesta outra matéria, você aprende como escrever uma Carta de Apresentação e pode até baixar um modelo).

Abordar um recrutador da empresa pelo LinkedIn também é uma boa ideia. Usando a barra de busca da rede social profissional, não é difícil encontrar quem recruta em uma empresa: basta buscar pelo nome da companhia desejada e palavras-chave como “recruiter”, “gente”, “recursos humanos”. Depois de identificar a pessoa, envie uma mensagem pela própria pessoa se apresentando e falando do seu interesse em estagiar na empresa – mas use o bom senso e não “dê uma de desesperado”.

É muito possível que pelo menos uma conversa você emplaque, e ainda entre no banco de talentos como alguém proativo.

Como preparar seu currículo

O temido currículo não precisa ser tão temido assim. O Na Prática preparou uma matéria inteira sobre o assunto pensando justamente em quem está entrando no mercado, que inclui modelos prontos para download.

E se você acha que não tem experiências profissionais suficientes para escrever um, respire fundo e acredite: tem sim. E não precisam ter sido remuneradas!

Qualquer vivência que trouxe aprendizados profissionais, seja na empresa júnior ou num grande projeto de faculdade, pode ser colocada no currículo.

BAIXE UM MODELO DE CURRÍCULO PARA INÍCIO DE CARREIRA

O que um recrutador realmente quer é entender se você consegue realizar as tarefas que aquela vaga exige, não quantos empregos você já teve.

Também cuide bem de seu LinkedIn – você nunca sabe quem pode acabar esbarrando em seu perfil. (E se quiser atrair recrutadores ativamente, essa expert ensina como!)

Abaixo, você também descobre quais são (e como evitar) os piores erros de currículo:

Esta matéria foi publicada originalmente no portal Na Prática