Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Dá para passar em Medicina em uma boa universidade estudando em escola pública?

Orientador profissional esclarece

Por Redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h46 - Publicado em 29 Maio 2013, 14h49

Olá, tudo bem? Me chamo Débora e meu sonho sempre foi ser médica, mas como venho de família de renda baixa, sempre estudei em escolas públicas, mas sempre me dediquei aos estudos. Meus pais não têm condições de pagar uma faculdade particular de Medicina pra mim. Agora eu vou largar o serviço para apenas estudar, e queria a ajuda de vocês, porque todos falam que eu não vou conseguir, que é difícil e a escola pública não presta. O que eu devo fazer para passar em uma USP, UNESP? Como ser médica vindo de escola pública? Obrigada pela atenção.
Enviado por Débora Aline

As diferenças econômicas a que a população está submetida em nossa sociedade determinam também diferenças de oportunidade de acesso à plena cidadania. Historicamente no Brasil, a educação pública sofreu um processo de deterioração em função da baixa remuneração de professores, de políticas públicas ineficientes que resultaram em melhor qualidade de ensino nas escolas privadas, em geral. Assim, a população com menos recursos financeiros tem acesso a uma educação de menor qualidade, o que tem como consequência menos recursos, em média, para competir pelas vagas nas melhores universidades e nos cursos mais concorridos.

– Saiba tudo sobre a carreira de Medicina

É importante salientar que tais obstáculos não são de ordem pessoal, de falta de capacidades ou empenho individuais necessariamente, e sim marcadas principalmente pela estrutura social, econômica e política, extremamente desiguais no país.

Medicina é o curso mais concorrido e um dos que exigem grande empenho nos estudos durante a formação. Considere, no entanto, que é possível encarar este desafio, desde que seja feito um bom planejamento e que a pessoa disponha de recursos (tempo, financeiro) para o se dedicar para um bom preparo. Você deve avaliar se pretende e como enfrentar este desafio, inclusive conversando com seus familiares.

O ingresso em Medicina exige muita afeição. Os candidatos muitas vezes destinam dois ou mais anos no preparo para o vestibular e enfrentam frustrações que podem desmotivá-los. Porém a desistência obviamente também pode se refletir em frustração.

Continua após a publicidade

O que pode servir de apoio é um bom planejamento: organização do tempo e da rotina de estudos, verificação dos recursos financeiros de sua família necessários para tal preparação, identificação de quanto você está motivada para superar obstáculos e adversidades determinadas pela qualidade do ensino público a que foi submetida.

Para o enfrentamento deste grande desafio, não apenas a rotina de estudos, mas outros aspectos como o gerenciamento do tempo para lazer, intensidade de contato social, quantidade e qualidade do sono, alimentação, desenvolvimento da capacidade concentração e atenção devem ser observados. Os cursinhos colaboram no sentido de apresentar metodologias de estudo, inclusive em boa parte deles apresentando apoio de monitores e de orientadores.

Quase 90% dos alunos que se formam no ensino médio o fazem na rede pública. Os dados de ingresso nos cursos das universidades públicas de São Paulo demonstram claramente a diminuição de oportunidades determinada pela classe social: apenas 18,5% dos alunos ingressantes neste ano no curso de Medicina da USP realizaram seus estudos de ensino médio totalmente em escolas públicas; Na Unesp foram 7,8% e na Unicamp 14% (fontes: FUVEST, COMVEST e VUNESP). Por outro lado tais dados indicam que é possível superar as dificuldades.

Fique atenta também para o sistema de cotas para alunos egressos da rede pública, já implantado na Unicamp e em implantação na Unesp. Busque informações sobre os critérios destes programas em uma rápida pesquisa na internet. A USP também estuda a implantação de sistema parecido; atualmente já estão em vigor dois programas que visam fornecer chances maiores aos egressos das escolas públicas; acesse PASUSP e INCLUSP.

Planejamento, empenho, disciplina e reflexão são condições necessárias mas não suficientes para que sua decisão ocorra: ela também passa por um ATO DE CORAGEM, que significa assumir seu projeto batalhar muito para que “dê certo”, inclusive emocionalmente.

Você ainda pode se beneficiar de programas tais como o de Cotas (das universidades federais) e ProUni para as faculdades privadas que selecionam alunos a partir do Enem.

Leia mais:
– Teste: Medicina é o curso certo para mim?
– Dez fatos sobre o curso e a carreira de Medicina
– Os 9 melhores cursos de Medicina do Brasil

Continua após a publicidade
Publicidade