Assine com até 65% de desconto

Dá para trabalhar e cursar Psicologia na USP, que é integral?

Veja a resposta de uma estudante da área

Por *Projeto Salvaguarda 1 set 2017, 10h06

Estou no último ano do ensino médio e estou estudando pra entrar em uma faculdade pública no ano que vem. Quero fazer Psicologia e queria muito fazer na USP, só que o curso de lá é integral. Eu gostaria de saber se é possível trabalhar e fazer a faculdade ao mesmo tempo, e se eu posso fazer algum estágio remunerado já no primeiro ano, visto que estágios costumam ser menos horas do que um trabalho normal. Para mim seria impossível fazer faculdade sem trabalhar, só que com essa carga horária não vejo como fazer isso.

Stephani

Olá, Stephani! Acho que posso responder bem sua pergunta, porque o fator financeiro era algo que também me preocupava antes de eu obter algumas informações que te passarei agora.

Sendo bem direta, não acredito que seja possível trabalhar em ocupações fixas, como um estágio durante a faculdade, porque a graduação é realmente integral. Não temos aulas das 8h às 18h todos os dias, mas o conteúdo das disciplinas exigem muito de nós nos momentos em que estamos livres. Mas existem alternativas para conseguir dinheiro pela universidade.

A USP possui programas de auxílio financeiro à permanência estudantil destinados a alunos de baixa renda, podendo ser obtidos já no primeiro ano, mais especificamente, a partir do segundo/terceiro mês de aula. Existem auxílios para transporte (200 reais por mês), moradia (400 reais por mês – destinados alunos que não moram em suas cidades de origem) e alimentação (disponibilizado por meio de recarga do cartão alimentação do restaurante universitário).

Além disso, há programas de iniciação científica, que também são remunerados, e exigem que o aluno, em teoria, dedique 10 horas semanais para o desenvolvimento de algum projeto de pesquisa. Vale ressaltar que essas horas podem ser cumpridas de acordo com sua disponibilidade. Os alunos inscritos nesses programas recebem 400 reais por mês ao longo de um ano. Para se inscrever nesse último, é necessário ter cumprido ao menos um semestre da graduação.

Em síntese, acho que esses são os principais programas remunerados aqui da USP.

Não deixe de fazer um curso na USP por conta da impossibilidade de se manter, essa é uma das universidades que mais oferecem auxílios aos alunos. Sou mantida por eles e sei de mais pessoas que também são. Você pode encontrar informações mais completas no site do Serviço de Atendimento Social (SAS). Aqui está o link: http://sites.usp.br/sas/

Desejo boa sorte e ótimos estudos! Acho que essa é a combinação perfeita pra uma aprovação.

Respondido por Hariff Barbosa, estudante do 3º ano de Psicologia na USP Ribeirão Preto

  • *O Projeto Salvaguarda, fundado por um aluno de Economia da USP, tem o objetivo de mostrar aos estudantes da rede pública que os bancos das universidades também devem ser ocupados por eles. Os mais de 200 voluntários, geralmente alunos ou professores da universidade, realizam um trabalho com os estudantes para falar sobre carreiras e a seleção para o ensino superior e aproximá-los do cotidiano do ensino superior.

    Continua após a publicidade
    Publicidade