logo-ge

Devo fazer Cinema ou Psicologia? Não sei que carreira seguir!

Orientador profissional esclarece

Desde que entrei no Ensino Médio estou em dúvida entre Cinema ou Psicologia. Amo escrever, criar histórias e estar por trás dos processos de criação dos personagens. Porém, todos os meus amigos ficam impressionados com meu raciocínio quando avalio as pessoas. Sou bastante observador e sempre quis trabalhar ajudando pessoas, tanto que, se eu escolhesse Psicologia, gostaria de me especializar em traumas, que me interessam muito. O que fazer então? Moro em Belém e o curso de Psicologia na federal daqui é ótimo, mas o curso de Cinema foi inaugurado a pouco tempo, não tendo o renome de outras faculdades brasileiras como a UnB. Estou muito em dúvida. Me ajudem.
Enviado por Matheus Silva

Durante a vida desenvolvemos vários interesses e “paixões”; afinal estamos sempre em transformação, nos construindo e renovando. Nem sempre conseguimos sintetizar nossos diversos interesses no campo profissional, o que não significa que devemos deixá-las de lado. Além do exercício profissional, há diferentes formas de contemplá-los, como estudos livres ou atividades de lazer por exemplo.

– Saiba mais sobre a carreira de Cinema e Audiovisual

– Confira como é o dia a dia de um profissional formado em Psicologia

 

Por outro lado, como forma de extensão ou especialização dos estudos, é possível por vezes estabelecer relações entre alguns interesses. Por exemplo, há cineastas que se nutrem e ao mesmo tempo direcionam suas obras para a reflexão dos determinantes mais profundos do comportamento humano; ou ainda, é possível estudar a relevância e o impacto da expressão artística cinematográfica desde o campo de análise da psicologia ou da psicanálise.

Como seus interesses pelas duas carreiras parecem competir em iguais condições de força, é importante que você reflita sobre a condição do processo de escolha. A verdadeira escolha envolve conflito entre opções que nos encantam com a mesma força. Para superá-lo é necessário uma profunda reflexão sobre a origem dos interesses, a análise de valores pessoais que queremos realizar na vida profissional, a exploração das atividades que você realizará cotidianamente, a constituição do curso de graduação, entre outros elementos.

Considere que em algum momento haverá alguma “perda”, pelo menos parcial, quanto aos ideais associados a uma das carreiras. Portanto, além de ponderar pró e contras quanto a cada opção, tenha consciência que você deverá realizar um “ato de coragem”, investindo energia na formação escolhida.

Leia mais:
– Será que Cinema é o curso ideal para você?
– Psicologia é a carreira certa para você?
– Psicologia ou Psiquiatria?