logo-ge

Faço Direito, mas acho a rotina monótona. O que devo fazer?

Orientador profissional esclarece

Sou estudante de Direito e estou no 4º semestre, mas apesar de achá-lo um curso belíssimo e muito promissor, não consigo encontrar prazer ou satisfação ao estudá-lo. Ademais, a rotina é monótona: horas a fio sentado só estudando e depois horas a fio sentado lendo e trabalhando todos os dias, no mesmo lugar fazendo as mesmas coisas, no mesmo horário. Acho que combinaria comigo algo mais dinâmico e criativo. Não sei se vale a pena trocar de curso logo, ou terminá-lo para poder fazer outro. Mas agora estou entre administração e arquitetura. O que faço?
Enviado por V. Britos

Esta é uma escolha difícil mesmo. Afinal, por dois anos você investiu recursos pessoais e financeiros, atendeu/estabeleceu expectativas familiares, organizou certas rotinas no sentido de efetivar um projeto de vida, de conquistar certa identidade profissional e pessoal. Interromper este caminho é também romper esta identidade que estava se desenhando. Portanto, não se trata apenas de uma decisão racional quanto às atividades que você executará no futuro, mas envolve também conteúdos emocionais ligados a perdas, a incertezas, a riscos.

– Veja quais são as possíveis áreas de atuação para quem faz Direito

Será que você não está realizando uma ligação direta entre a vida de estudante com o exercício profissional? Afinal, a área de Direito oferece um ampla gama de possibilidade de atuação profissional com cotidianos bem diversos. Pense bem, a atuação de um delegado é diferente do advogado criminal, que é diferente do advogado que milita na área do direito do consumidor ou dos direitos humanos. Procure conhecer todas as possibilidades de trabalho na área do direito para fundamentar sua decisão de permanecer ou trocar de curso.

Toda escolha real envolve ter que lidar com conflitos, riscos e perdas. Não é diferente em seu caso. Comece identificando estes aspectos e avaliando suas possibilidades pessoais e materiais para enfrentar os riscos e as perdas decorrentes da mudança de curso. Ao mesmo tempo, pesquise detalhadamente as profissões pelas quais você demonstra interesse (eventualmente outras além das citadas). Procure conversar com as pessoas de sua confiança para maior sustentação em sua decisão. Mas saiba: no final, a decisão é absolutamente pessoal.

Leia mais:
– Direito é mesmo o que eu quero?
– E agora? Continuo ou não no Direito?
– Devo fazer uma segunda faculdade?