Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Gosto de Direito, mas não quero ser advogada ou juíza. Existe outra área que posso atuar?

Orientador profissional esclarece

Por Redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h26 - Publicado em 6 jun 2014, 21h00

O curso de Direito (ou Ciências Jurídicas) forma o bacharel em Direito. Com este título o profissional pode desenvolver a carreira jurídica, em que trabalha em órgãos públicos da área da justiça como procurador, defensor público, membro do ministério público, juiz, desembargador, delegado de polícia (vinculado à polícia civil).

O ingresso nessas funções ocorre por meio de concurso público. Há atualmente um discussão jurídica sobre a exigência do registro na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), mas tem prevalecido o entendimento que os órgãos públicos tem autonomia para estabelecer os critérios de nomeação por concurso.

Outros concursos públicos que exigem apenas formação em nível superior em qualquer área podem se apresentar como opção. Em muitos deles a formação em direito pode ajudar, como em funções de auditoria. A carreira de diplomata enquadra-se neste caso; informe-se sobre ela acessando este site.

Para atuar como advogado é necessário ter sido aprovado no exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Assim, para advogar (representar legalmente pessoas, grupos, organizações ou empresas, com direitos e poderes de realizar acordos e agir em nome deles) nas áreas como direito civil, comercial, do consumidor, criminal, tributário, trabalhista, o bacharelado não basta.

De toda forma é importante que você reflita sobre por que escolher direito se seu objetivo não é advogar. Que valores norteiam esta sua escolha? Há algum elemento que a pressiona no sentido desta escolha? Qual o objeto de trabalho ao qual você gostaria de se dedicar? Que outras profissões podem contemplar mais diretamente seus interesses?

Leia mais:
– Conheça os 17 cursos de Ciências Sociais e Humanas
– TESTE: Direito é mesmo o que eu quero?

Continua após a publicidade
Publicidade