Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Posso fazer Direito e trabalhar em outro país como advogada?

Você pergunta, nossos orientadores respondem

Por Redação 2 out 2019, 22h00

Se eu fizer Direito aqui no Brasil e quiser morar em outro país, eu teria que fazer a graduação novamente ou basta uma especialização? Eu gosto muito dessa área, mas também gostaria de viver em outro país em algum momento.

Giovana Alves

Por JULIANA RISSARDI, sócia-consultora da People & Results 

É importante você saber que a área do Direito é bastante diferente entre os diversos países portanto isso significa que há regulações diferentes também. Portanto, vai depender do país em que você quer residir e trabalhar. 

Como exemplo: EUA e Portugal. Nos EUA, o diploma de Direito do Brasil não é válido diretamente, ou seja, para você advogar lá precisa passar por algum destes passos: fazer novamente a faculdade lá, ser aprovada num mestrado lá ou trabalhar para um escritório de advocacia de lá. Mas isso também vai depender do estado, uma vez que nos EUA cada estado tem suas próprias regras de trabalho. 

Já em Portugal como temos leis parecidas e temos um acordo entre os países, é possível que você advogue lá somente se inscrevendo na OA, que é a OAB deles. 

Sendo assim, minha recomendação para você antes de iniciar sua graduação é pensar em onde quer fazer. Se você tem intenção de viver em outro país por que não tentar ir para lá para fazer a graduação lá? Assim você já conquista sua graduação junto com sua vontade de morar em outro país. 

Boa sorte!

People & Results

Empresas são feitas de profissionais. São eles que constroem, transformam e perpetuam a cultura corporativa. Quando colocadas em posições que exigem aquilo que cada um tem de melhor, alcançam desempenho superior, são mais felizes. Portanto, cuidar da cultura da empresa e da carreira é peça fundamental na gestão de pessoas e para o sucesso nos negócios. Em suma, pessoas e resultados são o nosso negócio.
(A consultoria, especializada em carreira e cultura organizacional, responderá periodicamente as dúvidas dos leitores do GE).

 

Continua após a publicidade
Publicidade