logo-ge

Posso fazer pediatria mesmo sendo tímida?

Orientador profissional esclarece

Eu sou uma pessoa um pouco tímida. Gosto de biologia e de crianças. Gostaria de saber se Pediatria se encaixa no meu perfil. Sou também um pouco extrovertida, sei conversar com as pessoas. Fiz um teste e deu Pediatria, mas gostaria da opinião de alguém. Devo insistir no meu sonho?
Enviado por Aliceh Silva

A escolha de uma profissão não deve se resumir à realização de um “teste”. Por mais que testes possam informar sobre certas características e habilidades que você já desenvolveu, não exploram outros fatores como características que você deseja ainda desenvolver. Observe que você se refere a si mesma como “um pouco tímida” e “um pouco extrovertida”, características a princípio opostas; é possível mesmo que você seja assim, em função do ambiente ou do tipo de contato estabelecido com os outros. Considere que ao longo de sua vida você passará por mudanças, bem como mudarão as imagens que você tem das profissões.

– Saiba tudo sobre o curso e a carreira de Medicina

Outros fatores que os testes em geral não exploram são suas condições sócio-econômica, a dinâmica do trabalho em nossa sociedade, desafios que você queira se propor e dificuldades que deseja superar, o aprofundamento das imagens profissionais com as quais você já teve contato entre outros fatores.

As carreiras oferecem diferentes possibilidades de remuneração, ambientes de trabalho, desenvolvimento de interesses. Cabe a você refletir sobre seus interesses e valores e relacioná-los a uma boa informação sobre as profissões.

Os testes vocacionais apenas servem como indicativos e contribuem pouco para a decisão. Para uma decisão consciente há muito trabalho envolvido. Certo grau de ansiedade é necessário para que as pessoas se movimentem; mas vá com calma, pois muita ansiedade pode imobilizar.

De início, conheça todas as possibilidades que existem sem se preocupar em fazer sua escolha. Veja todas as profissões que existem e faça uma lista das que te interessaram; assim você reduzirá o número de opções. Aprofunde a pesquisa daquelas que mais lhe atraem. Agregue a estas pesquisas a busca de compreensão de como funciona a dinâmica do trabalho na sociedade.

Faça uma reflexão sobre si mesma: resgate sua história pessoal e os interesses que já apresentou na vida, habilidades já desenvolvidas; pense também no que deseja para sua vida, que projetos você já esboçou. Uma forma interessante de fazer isto é conversando com pais e amigos: peça a eles que expressem como lhe veem. Tome as opiniões como ajuda, como auxílio para se conhecer. Mas não espere (e não aceite) que alguém indique o que lhe “completa”: você é quem terá que “construir” sua opção. Pense em como você construiu seu modo de ser até agora, mas lembre-se que isso deve lhe ajudar a pensar quem você pretende de ser no futuro; você pode querer mudar certas características.

Ao final do processo saiba que sua decisão deverá contar com um “ato de coragem”, por meio do qual você encarará os desafios e riscos inerentes a qualquer escolha.

Leia mais:
– Medicina é mesmo a minha opção?
– Gosto de matérias de biológicas. Que curso devo fazer?
– Medicina foi a escolha certa para mim?