Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Quero trabalhar na área diplomática! Faço Direito ou Relações Internacionais?

Orientador profissional esclarece

Por Redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h34 - Publicado em 8 dez 2014, 17h21

Sempre gostei de geografia e estudo inglês, francês e espanhol. Queria ter um trabalho que me mantivesse em constante contato com o mundo, gosto de conhecer novas culturas e queria visitar as grandes metrópoles. Decidi fazer Relações Internacionais, mas para trabalhar na área diplomática é necessário amplo conhecimento em Direito. Faço as duas? Qual primeiro?
Enviado por Sammer Gomes

O curso de Relações Internacionais contempla parte do conhecimento relacionado a Direito, principalmente no que diz respeito às diferenças entre as concepções entre países diversos. Esse conhecimento básico pode der complementado por meio de cursos de especialização caso se faça necessário.

Há naturezas diferentes nas formas como advogados e internacionalistas lidam com a legislação internacional: o advogado representa os interesses de uma parte (uma pessoa, uma empresa, ou mesmo um país) em conflitos de interesses ou em estabelecimento de acordos. O internacionalista deve ter conhecimentos de direito internacional e/ou da legislação específica de certo país de forma a promover análises que permitam estabelecer parâmetros de mediação em diversas áreas (como militar, comercial, cultural).

Sua formação é menos específica quanto a procedimentos legais, ao mesmo tempo em que abarca outros conteúdos das ciências humanas como sociologia, história, geopolítica. Ela contempla elementos de direito internacional, teorias econômicas, sociologia (antropologia e política inclusive), e outros conteúdos ligados às humanidades.

O internacionalista é formado para ser um negociador em qualquer campo da atividade humana, como o político, cultural, para assuntos militares, educacionais, econômicos. Visa otimizar as relações entre empresas, órgãos governamentais, entidades internacionais em várias áreas: política, militar, cultural, comercial, legais, de direitos civis. Quando trata de assuntos econômicos o faz de forma a contemplar determinações jurídicas, estratégias de negociação, considerações sobre as culturas dos países envolvidos. Considere que o campo comercial é o que mais oferece oportunidades de trabalho para o internacionalista.

Você diz desejar trabalhar na “área diplomática”. A carreira diplomática é uma carreira pública, cujo ingresso ocorre por meio de concurso. A primeira exigência é que você tenha uma graduação de nível superior em qualquer área.

O ingresso na carreira se dá por meio de realização de exame para ingresso no Instituto Rio Branco (órgão ligado ao Ministério das Relações Exteriores). Este exame requer conhecimentos de legislação, política internacional, línguas, economia, entre outros. Este site apresenta todas as informções necessárias de forma clara e detalhada. Por conta da natureza da provas, profissionaiscom certas formações tem mais condições iniciais de ingressar nesta carreira como internacionalistas, advogados, economistas, geógrafos e cientistas sociais. Mas há cursinhos específicos que ajudam no preparo do candidato para o enfrentamento da seleção, que é um dos mais exigentes concursos públicos do país.

Leia mais:
– TESTE: Relações Internacionais é o curso que eu quero?
– TESTE: Direito é mesmo o que eu quero?

Continua após a publicidade
Publicidade