Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Terei problemas para lecionar por ter tatuagens?

Orientador profissional esclarece

Por Redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h53 - Publicado em 17 jan 2014, 15h59

Quero cursar Letras e futuramente dar aulas, porém tenho tatuagens visíveis no antebraço que, embora não sejam ofensivas, são grandes. Ainda há preconceito em relação à isso por parte das escolas, pais dos alunos e outros?
Enviado por Clauber Nascimento

As relações de trabalho refletem em boa medida o comportamento social geral. Os ambientes de trabalho guardam certas especificidades em função do tipo de atividade desempenhada e de tradições. Por exemplo, nos fóruns é exigido de advogados que se vistam formalmente, bem como médicos devem usar roupas adequadas em hospitais em função dos procedimentos que executam.

No entanto há exigências que superam as necessidades funcionais, o que pode revelar preconceitos embutidos nas relações sociais, apesar de muitos progressos conquistados na luta pela diversidade sociocultural e econômica.

O uso de tatuagens já foi bastante discriminado socialmente por associação a perfis antissociais, ou seja, identificava-se uma pessoa que exibisse tatuagens como participantes de grupos ligados a contravenção, ao crime. Ao longo das últimas décadas esta identificação perdeu força, inclusive pela exibição de tatuagens por celebridades. No entanto, é possível que ocorra resistências à aceitação das mesmas, já que o preconceito como atitude irracional ainda ocorre em nossa sociedade. Do ponto de vista jurídico, discriminar uma pessoa pelo uso de tatuagens é ilegal; no entanto, de forma velada, indireta, isso ainda pode ocorrer junto a determinados grupos.

No caso de instituições escolares, mesmo de forma indevida, isso pode acontecer junto a escolas privadas. Como o ingresso no ensino público ocorre por concurso, não seria um impedimento.

Conflitos religiosos, políticos, étnicos, de orientação sexual foram a base de discriminação e de enormes violências. Por outro lado, nunca, em toda a história humana e em especial do Brasil, este tema esteve tão em jogo, a ponto de várias leis serem revistas ou criadas para o combate dos mesmos.

No processo de escolha profissional é muito importante que você busque compreender os elementos que compõem a dinâmica e os cenários do mundo do trabalho. O fato de ainda termos que avançar na superação da discriminação e das desigualdades sociais deve ser considerado. Porém, isso não impede que você conquiste seus objetivos, por meio da construção de estratégias individuais e coletivas para combater e superar tais dificuldades.

Considere que tanto a realidade social quanto você mesmo são dinâmicos, que se transformam ao longo do tempo. A rigor, não há impedimento formal que uma aparência diferente determine para o exercício profissional. Cabe a você identificar os recursos de que dispõe para combater eventuais discriminações.

Leia mais:
– Tenho dreads. Vou sofrer preconceito na hora de arrumar um emprego?
– Sou homem e quero dar aula para crianças. Haverá preconceito?
– Vou sofrer preconceito se fizer Nutrição sendo um pouco gordinha?
– Sou negra e tenho medo de sofrer preconceito como secretária. O que devo fazer?

Continua após a publicidade

Publicidade