logo-ge

CAPES divulga avaliação dos cursos de pós-graduação no Brasil

O objetivo da avaliação é perceber o avanço da pós-graduação e apontar necessidades de correção para instituições e programas

Integração educacional

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) acaba de divulgar os resultados da avaliação quadrienal dos programas de pós-graduação stricto sensu em funcionamento no Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG). A pesquisa avaliou 4.175 cursos brasileiros de mestrado acadêmico, mestrado profissional e doutorado.

O objetivo da avaliação é perceber o avanço da pós-graduação e apontar necessidades de correção para instituições e programas. A pesquisa serve também como referência para que as agências de fomento nacionais e internacionais possam distribuir bolsas de estudo.

A pesquisa revela um aumento de número de cursos em todos os níveis de formação. De 2007 a 2017, praticamente dobrou a quantidade de cursos de doutorado, enquanto o número de mestrados acadêmicos cresceu 65%. Já os cursos de mestrado profissional mais que triplicaram.

 (CAPES/Fotos Públicas)

Houve ainda um crescimento do número de programas de excelência, considerados de qualidade internacional, e uma desconcentração dos cursos, que se espalharam pelo país. Em 2007, 14 unidades da federação não contavam com programas de notas 6 ou 7. Atualmente, 10 estados não possuem programas de excelência: Acre, Rondônia, Roraima, Amapá e Tocantins, na região Norte. No Nordeste, Piauí, Alagoas e Sergipe. Na região Centro-Oeste, o estado do Mato Grosso. No Sudeste, o Espírito Santo. Na região sul, todos os estados possuem programas de alto padrão.

 (CAPES/Fotos Públicas)

Chama atenção, porém, o fato de que apenas 179 cursos (4%) receberam nota 7, equivalente a padrões internacionais de excelência. Entre os programas que tiraram nota máxima, 165 são de instituições de ensino públicas e apenas 14 de particulares, sendo que a maioria (75%)  se concentra na região Sudeste.

Outro item que obteve um crescimento expressivo em relação à última avaliação foi o número de alunos que concluíram seus cursos:  59% a mais estudantes obtiveram o título de mestre e 94% de doutores. A titulação de mestres profissionais aumentou 193%.

 (CAPES/Fotos Públicas)

A produção acadêmica também teve um aumento considerável entre os dois últimos períodos de avaliação. Houve crescimento de 89% no número de artigos em periódicos e 80% na produção de livros ou capítulos de livros.

 (CAPES/Fotos Públicas)

Para acessar os resultados detalhados da pesquisa, consulte o site da CAPES.

Este ano o período de avaliação foi estendido de três para quatro anos e os procedimentos de coleta e tratamento de dados foram feitos de forma informatizada, com o uso de uma plataforma online.