logo-ge

Como me preparar para a entrevista com meu orientador da pós-graduação?

No processo seletivo de uma pós-graduação stricto sensu, depois do projeto de pesquisa, da prova escrita e da análise do currículo, chega a hora da entrevista com o orientador. Veja como se sair bem nela

Na pós-graduação stricto sensu, depois de desenvolver um projeto de pesquisa, passar pela prova escrita e pela análise de currículo, chega a etapa da entrevista com o orientador. Por ser uma situação nova, esse encontro acaba gerando ansiedade em alguns estudantes. Mas a entrevista não é nenhum bicho de sete cabeças.

Segundo Leandro Morilhas, coordenador geral da FIA, durante a entrevista, o orientador quer conhecer melhor o aluno, entender o seu projeto de pesquisa e avaliar sua disposição para encarar um trabalho de longa duração. “É importante também avaliar a relevância do projeto para a comunidade acadêmica, já que eles estão sempre conectados com algumas linhas de pesquisa”, explica.

Mas, se ainda assim, você sente um frio na barriga ao pensar em ser avaliado, selecionamos algumas dicas para que tenha uma reunião mais tranquila.

Domine o assunto de sua pesquisa

Um modo de se manter calmo é saber sobre o que você está falando. É claro que você não precisa ser um expert no tema – afinal, você está ingressando na pós justamente para explorá-lo melhor, mas precisa ter em mente por que escolheu esse projeto de pesquisa, como pretende realizá-lo, qual metodologia pretende seguir, quais rumos futuros ele poderá tomar, e em que ele pode contribuir com a linha de pesquisa já desenvolvida na universidade.

Conheça o programa de pesquisa

Antes da entrevista, procure saber sobre as linhas de pesquisa que vêm sendo desenvolvidas na instituição para a qual está se candidatando. Essa informação pode ser obtida nos sites dos programas da pós-graduação. Leia também sobre os professores, as disciplinas oferecidas e a infraestrutura disponível para realizar sua pesquisa. Assim, você ficará mais consciente do que terá à disposição e ainda passará a impressão de que tem noção do que vai enfrentar pela frente.

Demonstre motivação

Um mestrado pode durar até 3 anos, e provavelmente a comissão de seleção vai preferir um candidato que esteja motivado com o seu projeto e se mostre disponível para levar a pesquisa adiante. Além do mais, na avaliação que a Capes faz a cada três anos dos cursos stricto sensu, os alunos desistentes contam pontos negativos para a instituição. Por isso, os professores escolhem aqueles que transmitam a credibilidade de completar o curso até o fim dentro do prazo previsto.

Seja sincero

Não prometa à banca aquilo que não pode cumprir. Ou seja, se não disponibilidade de tempo, não se comprometa com um mestrado em tempo integral, a menos que tenha em vista uma alternativa para a situação. Caso necessite de bolsas para seguir em sua pesquisa, deixe isso claro na entrevista.

 

LEIA MAIS

– Notícias de pós-graduação