logo-ge

Estudantes estrangeiros podem concorrer a 200 bolsas de pós-graduação no Brasil

Benefício se estende a 55 países em desenvolvimento, incluindo Angola, Moçambique, Timor Leste, China e Argentina

O Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG) está oferecendo 200 bolsas em instituições de educação superior brasileiras, públicas ou particulares, a estrangeiros. Podem se inscrever estudantes de 55 países em desenvolvimento (veja a lista no quadro abaixo) com curso de graduação ou mestrado completo.

Países participantes
África do Sul
Antígua-Barbuda
Angola
Argentina
Argélia
Barbados
Benin
Bolívia
Cabo Verde
Camarões 
Chile
Colômbia
China
Costa Rica
Costa do Marfim
Cuba
Egito
El Salvador
Gabão
Equador
Gana
Guatemala
Índia
Guiana
Líbano
Haiti
Mali
Honduras
Marrocos
Jamaica
Moçambique
México
Namíbia
Nicarágua
Nigéria
Panamá
Paquistão 
Paraguai
Quênia
Peru
República Democrática do Congo
República Dominicana
República do Congo
Suriname
São Tomé e Príncipe
Trinidad e Tobago
Senegal
Uruguai
Síria
Venezuela
Tailândia
Tanzânia
Timor Leste
Togo
Tunísia
Vietnã

As inscrições devem ser feitas até o dia 10 de setembro, neste site (clique aqui para se inscrever). As bolsas serão concedidas em todas as áreas de conhecimento nas quais existam cursos de doutorado recomendados ou reconhecidos pela CAPES com conceito igual ou superior a 03 (três) que emitam diplomas de validade nacional.

O estudante selecionado receberá bolsa de estudos mensal de R$ 2,2 mil, a partir da matrícula, com duração de 48 meses, renovável a cada 12 meses; isenção do pagamento de mensalidades e demais taxas escolares; assistência médica, odontológica e farmacêutica pelo Sistema Único de Saúde (SUS); auxílio-deslocamento para vinda ao Brasil e passagem de retorno ao fim da pós-graduação. As atividades acadêmicas terão início em março de 2015.

Para concorrer, é preciso, entre outros requisitos, comprovar domínio da língua portuguesa por meio do exame para obtenção do Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras). Caso seja proveniente de país no qual não se aplica o Celpe-Bras, é necessário comprovar proficiência por meio de declaração do coordenador do curso de pós-graduação stricto sensu pretendido no Brasil. Também é preciso que o estudante não tenha iniciado o curso de doutorado pretendido nem tenha qualquer formação anterior em doutorado.

Leia mais sobre o programa neste link.

 

LEIA MAIS

– Notícias de vestibular e Enem