Assine com até 65% de desconto

Ciências Sociais

As áreas de atuação do sociólogo são muito variadas: descubra todas elas e ainda se informe sobre o curso de graduação

Por Redação Atualizado em 18 Maio 2020, 14h21 - Publicado em 14 Maio 2012, 14h26

Este bacharel analisa os movimentos e os conflitos sociais, a construção das identidades e a formação das opiniões. Pesquisa costumes e hábitos e investiga as relações entre indivíduos, famílias, grupos e instituições.

Desenvolve e utiliza um conjunto variado de técnicas e métodos de pesquisa para o estudo das coletividades humanas e interpreta os problemas da sociedade, da política e da cultura.

  • Fique de Olho

    ÊNFASES DIVERSAS

    Fique atento ao escolher um curso. Algumas instituições oferecem graduação específica numa das áreas de Ciências Sociais –  Sociologia, Ciência Política ou Antropologia. Outras escolas tem ênfases em áreas próprias, como América Latina (Unila, no Paraná) e políticas públicas (UFG).

    CIÊNCIAS DO TRABALHO 

    A Escola Dieese de Ciências do Trabalho, em São Paulo (SP), oferece o bacharelado em Ciências do Trabalho. O curso é voltado ao estudo e à pesquisa do trabalho, sua evolução ao longo da história, no mundo e no Brasil, a gestão de conflitos e disputas.

    O campo de atuação do bacharel são sindicatos e órgãos do poder legislativo. Economia política e história constituem a base teórica da graduação.

    O que você pode fazer

    Antropologia: estudar as diferentes culturas do homem.

    Ciência política: analisar os sistemas e as instituições políticas, o comportamento político e as políticas públicas.

    Ensino: dar aulas nos ensinos Fundamental e Médio. Para o Ensino Superior, é preciso ter pós-graduação.

    Sociologia: investigar as estruturas e a dinâmica das sociedades atuais, analisando os processos históricos de transformação das organizações sociais.

    Pesquisa de opinião: coletar e analisar dados sobre diferentes acontecimentos ou ocasiões para identificar o comportamento e a reação de grupos sociais em relação a eles.

    Mercado de Trabalho

    As áreas de atuação para o bacharel em Ciências Sociais são variadas. Algumas opções são a área de políticas públicas, em que o profissional trabalha na elaboração de propostas a serem postas em prática por governantes, e o setor de planejamento urbano. Institutos de pesquisa também buscam o profissional para analisar dados sobre a sociedade brasileira.

    Mais ligada à tecnologia, a área de humanidades digitais requisita cientistas sociais para fazer a análise de grandes conjuntos de dados (big data) produzidos por indivíduos na internet e em redes sociais, com o objetivo de entender comportamentos, opiniões e formas de interação política e social. Para isso, o graduado precisa dominar ferramentas computacionais.

    A área de audiovisual também dá espaço à produção de documentários e séries sobre a realidade brasileira. Cientistas sociais são chamados para colaborar na produção de roteiros.

    Organizações não governamentais (ONGs) e movimentos sociais também necessitam do bacharel para atuar em projetos voltados ao bem-estar de um conjunto específico da população, como imigrantes. Assim como partidos políticos, que contratam o cientista social - geralmente com ênfase ou pós-graduação em Ciências Políticas - para assessorar campanhas, estudar as políticas públicas e seus benefícios, e colaborar na elaboração de projetos de lei.

    O governo federal precisa do cientista social para atuar junto a programas sociais, como o Bolsa Família. As regiões Sudeste e Sul oferecem mais oportunidades de trabalho. Outro setor com  muitos postos de trabalho é o de ensino em escolas e faculdades.

    O licenciado em Ciências Sociais pode ainda dar aulas no Ensino Médio. A sociologia não é mais disciplina obrigatória na grade, desde a chamada Reforma do Ensino Médio. Mas a matéria ainda pode fazer parte do ensino, pois compõe a competência Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, ao lado de história, geografia e filosofia.

    Curso

    Exige grande carga de leitura e acompanhamento das questões sociais, culturais e políticas. O currículo é dividido em três grandes áreas: sociologia, antropologia e ciência política.

    As disciplinas obrigatórias incluem história, economia, psicologia, filosofia e metodologia científica. As aulas práticas abordam pesquisa de campo e coleta, análise e  interpretação de dados.

    Diversas faculdades oferecem o curso de graduação em Ciências Políticas, como a USP, a Unifesp, a Unicamp e a PUC-SP.

    Quem opta pela licenciatura precisa cursar didática geral e psicologia da educação. Algumas escolas oferecem programas de iniciação científica. Estágio e a elaboração de uma monografia são obrigatórios no bacharelado e na licenciatura.

    Duração média: 4 anos.

    Outros nomes: Antropologia; Ciência do Trabalho; Ciências Políticas; Ciência Política e Sociologia (sociedade, estado e política na América Latina); Sociologia; Sociologia e Política.

    LEITURA INDICADA:

    Fundamentos da Pesquisa em Ciência Política, de Paul M. Kellstedt e Guy D. Whitten

    Poder Político e Classes Sociais, de Nicos Poulantzas

    Antropologia - Uma Introdução, de Marina Marconi e Zelia Maria Presotto

    Legenda:

    Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

    ★★★★★ - Excelente

    ★★★★ – Muito bom

    ★★★ - Bom

    CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

    O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

    Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

    $ - Até 500,00 reais

    $$ - De 500,01 a 750,00 reais

    $$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

    $$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

    $$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

    n/i - Valor não informado

    Você também pode se interessar por:

    Publicidade