Clique e assine GE Play por R$16,90

Design Gráfico

O designer gráfico tem uma ampla oferta de mercado, em diversas indústrias

Por Redação - Atualizado em 9 out 2020, 15h35 - Publicado em 26 mar 2020, 19h18

Design é a palavra em inglês para desenho, do verbo latino designare, que significa traçar, apontar, mostrar uma direção. Além de se preocupar com a estética de um produto, o designer busca a sua funcionalidade. Ele cria e desenvolve projetos gráficos ou de comunicação visual, ou de concepção de objetos ou peças dos mais diversos tipos, a serem produzidos em grande escala.

Ele é responsável pela criação de projetos gráficos para publicações, anúncios e vinhetas de TV e internet. O designer gráfico desenvolve o visual de jornais, revistas, livros, panfletos, anúncios e outdoors. Também cria logotipos para marcas, comerciais e industriais, com o objetivo de torná-los atrativos e facilitar a leitura. 

O profissional escolhe as fontes que serão usadas nos textos, define o tamanho das colunas de uma página impressa, seleciona e padroniza cores e ilustrações e cria grafismos. Cuida da programação visual de marcas veiculadas em anúncios e campanhas, inclusive em espaços públicos onde a informação deve ser compreensível até para o público iletrado. Desse modo, torna a comunicação mais eficiente e agradável. 

No campo digital, elabora sites, templates, peças criativas com finalidade publicitária e veiculação online e, dependendo das suas capacidades e foco, pode desenvolver ilustrações e vídeos em motion (edição de vídeos animados e com mais elementos).

Em qualquer frente de trabalho, cabe ao designer gráfico a concepção da peça desde o momento da ideia até a criação. Para isso, ele pode utilizar sua bagagem de referências ou também o conceito de “design thinking”, que propõe soluções por meio da organização visual das ideias. 

O mercado de trabalho

Pode trabalhar em editoras, ou em pequenos escritórios de design, agências de design e de publicidade, gráficas, produtoras, ONGs e setor público ou dentro de empresas e indústrias variadas que não terceirizam seu setor de comunicação e possuam uma equipe interna para isso

Outra possibilidade é trabalhar como autônomo, prestando serviços para empresas. É aí que está, na verdade, o maior número de ofertas no mercado. As vagas de emprego ainda se concentram nas grandes capitais. Para quem está começando, a melhor maneira de entrar no mercado é estagiar em empresas de designers gráficos, agências de propaganda, editoras e produtoras de vídeo.

O mercado de trabalho para o designer é bastante competitivo e possui certa informalidade. A área demanda uma constante atualização por parte de seus profissionais, que precisam dominar as principais e mais atuais ferramentas de edição do mercado. Também exige que o profissional tenha um perfil organizado, pois a criação de um conteúdo visual é feita de muitas etapas e muitos arquivos. Por fim, o ideal é que o profissional de Design Gráfico tenha bom domínio de inglês, pois muitos bancos de imagens e vídeos são do exterior. 

Salário médio: R$ 2.751, segundo pesquisa feita com mais de 13 mil profissionais pela instituição Salario.com. Mas diretores de arte podem alçar salários bem maiores, como R$ 15 mil. Há também a possibilidade de salários intermediários, para profissionais com algum tempo de carreira, que ficam em torno de R$ 4.300 segundo o Site Nacional de Empregos (Sine), órgão público. 

O curso

O currículo do curso bacharelado valoriza a formação prática em artes e comunicação visual e é composto de disciplinas teóricas e conceituais como história da arte e do design, cinema, fundamentos da linguagem visual, novas tecnologias e fotografia. Há, ainda, aulas mais práticas como de tipografia, ergonomia, embalagem, marca e softwares de editoração. 

Vários cursos de Arquitetura e Urbanismo e de Desenho Industrial também preparam o profissional para atuar nessa área. A obrigatoriedade do estágio e da apresentação de um trabalho de conclusão de curso depende de cada instituição. 

Há também uma grande oferta de cursos de Design Gráfico tecnológicos, tanto presenciais como a distância. Nesse modelo, a duração é mais curta: são dois anos de curso, com menos disciplinas teóricas e mais práticas, focadas no dia a dia do trabalho que o profissional terá. 

Além da formação inicial, a profissão de Design Gráfico oferece muitos caminhos e especializações diferentes a serem seguidas. Para isso, você pode procurar cursos livres nas principais instituições do país, como Belas Artes, ESPM, Faap e Senac, e até pós-graduações mais longas nas mesmas e outras faculdades. 

Duração média: 4 anos.

O que você pode fazer

Editoração 

Criar páginas de jornais, revistas, livros e folhetos, distribuindo o texto e as imagens de acordo com a linha editorial da publicação.

Programação gráfica para TV

Produzir vinhetas para emissoras e peças de publicidade.

Webdesign

Desenhar sites, interativos ou não, para a internet, considerando a melhor forma de transmitir a imagem, as informações e os serviços oferecidos pelos clientes.

Ilustração

Desenha esboços, vetores e grafismos para peça jornalísticas ou publicitárias.  

Diagramação

Monta o chamado template, que é o modelo a ser usado por todos os demais designers da equipe para uma arte específica, padronizando as que virão.

Direção de Arte

Coordena todo o processo de arte de um veículo ou equipe. No caso das agências de publicidade, o Diretor de Arte não necessariamente irá gerenciar toda uma equipe – ele pode até mesmo ser “júnior” na hierarquia – mas terá clientes específicos que serão de sua responsabilidade.

Edição de vídeos

O designer gráfico pode ainda se especializar em editoração de vídeos mais simples ou também como motion graphic designer, que nada mais é do que animação.

Tipografia

Cria tipografias, letras e fontes para serem usadas tanto digitalmente como no impresso. Ele pode ainda trabalhar artisticamente em murais físicos. 

Business Design

É o designer que atua diretamente em empresas, mesclando conceitos de Design Gráfico com Marketing. Ele irá criar uma identidade visual para a empresa, que irá conduzir todo o tom de voz utilizado pela mesma em suas peças.

EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO

A área é mais conhecida pelo seu nome em inglês: user experience. Hoje em dia, é um segmento de intensa movimentação e crescimento para os designers, pois esse profissional, o UX, vai fazer com que a experiência do usuário dentro de ambientes digitais seja a mais intuitiva e fluida possível – tanto para websites como para aplicativos. Até mesmo bancos possuem equipes dedicadas a tornar a experiência do usuário em seus aplicativos cada dia melhor. (criei esse parágrafo)

Outros nomes: Artes Visuais. (artes gráficas.); Comunicação Visual; Design; Design (comunicação visual); Design (programação visual); Design (web/ gráfico); Design – animação digital.; Design de Interface Gráfica; Design Digital; Design Publicitário.

LEITURA INDICADA:

Curso de design gráfico: Princípios e práticas – David Dabner


clique aqui para comprar

 

O essencial do design gráfico – Bob Gordon


clique aqui para comprar

100 Ideias que Mudaram o Design Gráfico. De Gutemberg aos Suíços, Hippies e
Punks Até os Tablets – Steven Heller


clique aqui para comprar

Publicidade