Assine com até 65% de desconto

Design

Design é a palavra em inglês para desenho, do verbo latino designare, que significa traçar, apontar, mostrar uma direção

Por Redação Atualizado em 16 Maio 2019, 17h37 - Publicado em 14 Maio 2012, 16h54
GE/Guia do Estudante

Design é a palavra em inglês para desenho, do verbo latino designare, que significa traçar, apontar, mostrar uma direção. Além de se preocupar com a estética de um produto, o designer busca a sua funcionalidade. Ele cria e desenvolve projetos gráficos ou de comunicação visual, ou de concepção de objetos ou peças dos mais diversos tipos, a serem produzidos em grande escala.

Na área gráfica, cria logotipos, define a formatação das páginas de uma publicação, como jornais e revistas, definindo o tipo e o tamanho das letras e a disposição das imagens.

Pode trabalhar em meio digital, desenvolvendo interfaces para sites, games e dispositivos móveis, como celulares, smartphones e tablets. Neste caso, atua em editoras, agências de publicidade, birôs de computação gráfica e produtoras de mídia digital.

No desenho industrial, trabalha com produtos de consumo, como eletrodomésticos, mobiliário, lustres, vestuário e joias. Ou na fabricação de instrumentos e equipamentos médico odontológicos, como camas para hospitais e instrumentos para dentistas. Pode desenhar, ainda, peças da construção civil, como azulejos e cerâmicas.

Por fim, o designer trabalha no setor de máquinas e equipamentos, desenhando  peças a serem usadas pelas fábricas em seus processos de produção. Dependendo da área de atuação, o designer convive no dia a dia com arquitetos, profissionais de marketing, jornalistas, editores, engenheiros e especialistas em informática. Você pode ingressar na carreira como tecnólogo.

  • Fique de Olho

    DIFERENTES CAMINHOS PARA O DESIGN

    Além das ênfases mais comuns para o design, como industrial, produto e gráfico (ou visual) – veja definições no item O que você pode fazer – algumas escolas oferecem cursos, tanto bacharelados como tecnológicos, em áreas mais específicas, como gemologia (para atuar na indústria de joias), na Ufes, e animação, na Univille.

    Outras oferecem enfoque específico em comunicação e ilustração digital. A UFPR tem bacharelado em Expressão Gráfica, com foco na utilização de novas tecnologias, como softwares de modelagem 2D/3D, prototipagem rápida e modelagem virtual.

    DESIGN DA INTERAÇÃO E SERVIÇOS 

    Novas graduações na área focam na interação com o usuário. A PUC-SP passou a oferecer o bacharelado em Design da Interação e o IED São Paulo, Design de Produtos e Serviços.

    Trata-se do planejamento da infraestrutura, da comunicação e dos componentes de um serviço (como comércio eletrônico, aplicativos, totens de autoatendimento, caixas eletrônicos etc.) de forma a melhorar a experiência do usuário e a interação com o público.

    COMPUTAÇÃO GRÁFICA

    Audiovisual, modelagem, realidade aumentada, design e projetos arquitetônicos. A Universidade Fumec, em Belo Horizonte (MG), passou a oferecer um bacharelado em Computação Gráfica que faz a interface entre todas essas áreas. O aluno estará preparado para atuar na produção de vídeos e efeitos visuais para TV, cinema, web e para uso na publicidade.

    Também poderá atuar na área de design de games fazendo a modelagem e animação de personagens ou se dedicar aos projetos para engenharia e arquitetura, como a construção de maquetes digitais.

    O que você pode fazer

    Animação: fazer projetos de animação para cinema, publicidade e games, entre outros, desenvolvendo argumentos e roteiros.

    Desenho industrial: desenhar automóveis, máquinas e equipamentos industriais.

    Design digital: projetar e desenvolver interface para mídias digitais, como páginas para a internet.

    Design de embalagens: criar embalagens adequadas aos produtos, considerando o apelo visual.

    Design gráfico: projetar e reformular o aspecto visual e gráfico de publicações impressas, como jornais, revistas, livros e folhetos.

    Design de joias: desenvolver coleções de joias e acessórios para empresas de grande porte ou confeccioná-las de forma artesanal.

    Gestão de produto: gerenciar linhas de produtos em grandes fabricantes.

    Programação visual e comunicação: criar logotipos e marcas para produtos e serviços. Produzir vinhetas para a TV e peças de publicidade.

    Projeto de produto: desenhar objetos, móveis e utensílios para produção em escala industrial ou artesanal, definindo aspectos estéticos e funcionais. Pesquisar e desenvolver materiais e tecnologias de fabricação.

    Mercado de Trabalho

    O design é um dos pilares da chamada economia criativa, na qual indústrias e serviços estão voltados para o bem-estar do consumidor e preocupados em oferecer não só produtos, mas também experiências marcantes. O profissional projeta e cria peças especiais, capazes de tornar uma experiência muito mais prazerosa, como as taças de cristal de desenho diferente para cada tipo de vinho ou bicicletas feitas especialmente para o campo.

    Hoje o design é fator essencial para a indústria, principalmente para aquelas que exportam seus produtos. Tanto é que o Ministério da indústria, Comércio Exterior e Serviços lançou há 22 anos o Programa Brasileiro do Design, com o objetivo de  promover o desenvolvimento dessa área. Mas no Brasil o mercado para este profissional ainda tem muito a crescer.

    Um espaço importante é o das incubadoras de projetos, independentes ou ligadas a universidades, como o Cietec (USP) e a Incamp (Unicamp). A área digital vem crescendo e incorporando profissionais. Eles são contratados para criar páginas de sites, blogs e portais de internet, assim como a interface de aplicativos de celular.

    O graduado é procurado por escritórios de design, desenvolvedores de sites e profissionais liberais e empresas que querem melhorar o visual de suas páginas. Já as agências de publicidade procuram o designer gráfico e o especialista em programação visual para atuar na criação de campanhas publicitárias.

    As principais oportunidades estão nas regiões mais industrializadas do país, cada uma delas com sua especificidade: no Sudeste,indústrias em geral e, principalmente, os parques gráficos. No Sul, a indústria moveleira reúne os maiores empregadores, e, no Norte, a Zona Franca de Manaus.

    Curso

    O currículo do bacharelado traz disciplinas das áreas gráfica e de produto. Assim, o aluno estuda desenho técnico, informática, ergonomia, protótipos, ilustração, modelagem 3D, fotografa, marketing e design, estética, processos gráficos e design gráfico. Alguns cursos se direcionam para uma ênfase específica, como desenho industrial, projeto de produto ou design gráfico. Outros se voltam para um determinado setor, como games, moda e interiores. O estágio e o trabalho de conclusão de curso são obrigatórios na maioria dos cursos.

     Duração média: 4 anos.

     Outros nomes: Comput. Gráf.; Comun. Vis. Design; Des. Ind.; Design de Comun.; Design de Interação; Design de Prod.; Design de Prod. e Serv.; Design Dig.; Design Gráf.; Design Gráf. e Dig.; Expressão Gráf.; Gemologia.

     

    Os cursos tecnológicos são voltados para uma atividade específica do designer, e isso define a grade curricular de cada um. Na área de design gráfico e digital, além de aprender a lidar com tipologia e diagramação, ele tem boa carga de aulas de softwares. Em design de produto, a grade curricular tem foco em disciplinas como ergonomia e tecnologia de materiais. Para se formar é preciso apresentar um trabalho de conclusão de curso.

    Atenção: assim como ocorre com os bacharelados, algumas escolas oferecem formação específica em determinadas áreas, como joias, ilustração e animação digital.

     Duração média: 2 anos.

     Outros nomes: Comun. e Ilustração Dig.; Design de Prod.; Design Gráf.; Prod. Gráf.; Prod. Gráf. Dig.

     

    Legenda:

    Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

    ★★★★★ - Excelente

    ★★★★ – Muito bom

    ★★★ - Bom

    CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

    O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

    Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

    $ - Até 500,00 reais

    $$ - De 500,01 a 750,00 reais

    $$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

    $$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

    $$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

    n/i - Valor não informado

    Você também pode se interessar por:

    Publicidade