Assine com até 65% de desconto

Engenharia de Materiais

O bacharel trabalha numa das áreas de ponta da indústria: a pesquisa de novos materiais e de novos usos industriais para os materiais já existente

Por Redação Atualizado em 17 Maio 2019, 16h59 - Publicado em 21 Maio 2012, 15h10
GE/Guia do Estudante

O bacharel trabalha numa das áreas de ponta da indústria: a pesquisa de novos materiais e de novos usos industriais para os materiais já existentes. Ele faz a gestão e a supervisão de projetos e processos de produção, transformação e uso de materiais. Pesquisa resinas, plásticos, cerâmicas e ligas metálicas.

Aperfeiçoa suas propriedades e estabelece combinações que resultam em produtos inéditos e estuda novas alternativas de aplicação de materiais já conhecidos. Responsabiliza-se por todo o processo produtivo, da seleção da matéria-prima e definição dos métodos de produção ao emprego do material.

Você pode trabalhar na área de materiais com o título de engenheiro, mas também com um bacharelado em Ciência dos Materiais, ou ingressar na carreira como tecnólogo.

Fique de Olho

NANOTECNOLOGIA E MANUFATURA

A PUC-Rio oferece Engenharia de Materiais e Nanotecnologia, cujo profissional vai projetar componentes e dispositivos criados a partir de nanoestruturas. A Unicamp, em Limeira (SP), ministra o curso de Engenharia da Manufatura, que envolve conteúdos das engenharias mecânica, de materiais, de produção e metalúrgica. Esse profissional vai atuar no desenvolvimento de produtos, desde o seu planejamento, projeto e material utilizado, passando pelos seus componentes e processo de manufatura, até o gerenciamento do negócio.

O que você pode fazer

Cerâmica: criar materiais cerâmicos, avaliar suas propriedades e estudar novas utilizações para os já existentes. Controlar a qualidade da produção das peças em indústrias de materiais refratários e revestimentos cerâmicos.

Metais: desenvolver ligas metálicas e gerenciar sua produção, para garantir a qualidade do material, conforme suas propriedades e seu destino.

Polímeros: criar compostos de borracha, resinas, plásticos e acrílicos para serem empregados nos mais diversos tipos de indústria, controlando a aplicação do material de acordo com suas propriedades e o uso a que se destina.

  • Mercado de Trabalho

    As indústrias petroquímica e siderúrgica são as que mais contratam, seguidas pela indústria de transformação de polímeros. A Petrobras precisa do graduado para fazer a manutenção de equipamentos e participar de equipes que atuam na perfuração e manutenção de poços.

    O setor mais dinâmico é o da construção civil, em fábricas de cimento, vidro plano e cerâmica. Indústrias de materiais de construção também requisitam o bacharel para desenvolver produtos fabricados e vendidos por elas. A demanda dos consumidores por produtos “verdes”, menos agressivos ao ambiente, tanto no uso final, como na produção, é outro nicho desse graduado. O Brasil é o segundo maior produtor mundial de revestimentos cerâmicos, e as vendas para o exterior aquecem o mercado.

    Como os demais engenheiros, o de materiais também é valorizado no setor financeiro, devido à base sólida em matemática e à capacidade de resolver problemas. O Sudeste é o maior polo empregador, com as indústrias de metalurgia, plásticos e cerâmica em São Paulo e petroquímicas no Rio de Janeiro.

    Em Minas Gerais, há trabalho nos setores metalúrgico e siderúrgico na Grande Belo Horizonte e no sudeste do estado. No Sul, principalmente em Santa Catarina, predominam as fábricas de pisos, revestimentos e porcelanas. No Nordeste, destaque para as indústrias da construção civil e o polo industrial de Camaçari, na Bahia.

    Curso

    Após a formação básica, em algumas escolas o aluno opta por uma das três especializações: metais, cerâmicas ou polímeros. A partir daí, sobressaem as disciplinas associadas à escolha feita. Quando não há essa opção, as matérias englobam as três áreas.

    Boa parte da carga horária é passada em laboratório, onde o aluno se familiariza com as propriedades e as aplicações desses materiais. Nas aulas práticas, pesquisa e cria novas ligas metálicas, compostos cerâmicos e polímeros, como borrachas, plásticos e materiais supercondutores.

    O estágio e o trabalho de conclusão de curso são obrigatórios.

    Duração média: 5 anos.

    Outros nomes: Eng. de Manufatura; Eng. de Mat. e Manufatura; Eng. de Mat. e Nanotecnologia.

     

    Legenda:

    Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

    ★★★★★ - Excelente

    ★★★★ – Muito bom

    ★★★ - Bom

    CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

    O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

    Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

    $ - Até 500,00 reais

    $$ - De 500,01 a 750,00 reais

    $$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

    $$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

    $$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

    n/i - Valor não informado

    Você também pode se interessar por:

    Publicidade