logo-ge

Logística

Trabalha em centros de distribuição, empresas de encomendas, portos, aeroportos, terminais de carga, transportadoras e em empresas em geral

(GE/Guia do Estudante)

Trabalha em centros de distribuição, empresas de encomendas, portos, aeroportos, terminais de carga, transportadoras e em empresas em geral

O profissional de Logística avalia, projeta e implementa sistemas de transportes, armazenamento, compras de suprimentos, distribuição e entrega de produtos numa empresa, garantido racionalidade para esse fluxo e buscando economia, rapidez e segurança. Pode atuar nos setores de controladoria, coordenação, expedição e almoxarifado e nos diversos processos da logística de uma empresa.

A sua rotina de trabalho inclui o gerenciamento das redes de distribuição, acompanhar os processos de compra, identificar fornecedores, negociar e estabelecer as formas de entrega e recebimento de mercadorias e definir o meio de transporte e rota a serem adotados. Ele também faz o cálculo do frete e escolhe a embalagem para o produto, além de fazer o acompanhamento de pedidos e controlar os estoques.

Fique de Olho

BRASIL É MEDIANO EM RANKING DE LOGÍSTICA

Divulgada pelo Banco Mundial a cada dois anos, a lista de 2018, mediu a eficiência do setor em 160 países. O Brasil avançou dez colocações entre 2014 e 2016, mas em 2018 caiu uma posição: foi de 55º para 56º. Segundo o relatório mais atualizado, o país precisa avançar em itens como custo, pontualidade e, sobretudo, a infraestrutura do país. o que deve aquecer a procura por profissionais da área. 

POR TRÁS DA TELA DO COMPUTADOR

O crescimento do comércio online ampliou o mercado para os graduados em Logística. Eles passaram a ser demandados por sites de comércio eletrônico e empresas que vendem mercadorias pela internet. Cabe a eles garantir que a mercadoria seja entregue no destino com rapidez e eficiência. “Você compra um produto na China, e ele tem de chegar a sua casa intacto e no prazo estabelecido”, diz o professor Romeu Zarske de Mello, coordenador do curso da Univali, em Itajaí (SC). “Quem cuida disso é o profissional de Logística”.

O que você pode fazer

Armazenagem: determinar como uma mercadoria será armazenada para manter suas características originais, de modo a evitar perdas e gerar novos custos.

Compras: identificar fornecedores, fazer cotações e negociar preços e prazos de entrega de mercadorias.

Expedição: controlar o estoque, a entrada e a saída de mercadorias de um centro de distribuição.

Gestão: gerenciar centros de distribuição, cuidando de toda a parte operacional, desde a contratação de funcionários até o armazenamento, saída e transporte de mercadorias.

Transporte: determinar o meio em que a mercadoria será transportada, como avião, carro ou caminhão, a melhor rota a ser realizada considerando tempo e custo, calcular frete e determinar como o produto será embalado.

Mercado de Trabalho

O mercado para este profissional é amplo. “Em um país do tamanho do Brasil, tudo tem de ser muito bem planejado. Uma boa gestão da área de logística aumenta a eficiência e reduz custos”, diz Romeu Zarske de Mello, coordenador do curso da Univali, em Itajaí (SC). Segundo ele, as empresas ainda estão começando a organizar suas áreas de Logística, o que é favorável para esse graduado.

O piso salarial desse profissional varia de um estado para outro. Para se ter uma ideia, o salário médio de um profissional em Minas Gerais é de R$ 4.014. Já em São Paulo, cargos menores começam ganhando por volta de R$ 2.300. Para diretor de operações, o salário inicial é de R$ 10.000, aproximadamente. Nas capitais estão concentradas as melhores e mais numerosas ofertas para o ramo. 

Seus ambientes de atuação são dos mais variados. O profissional da Logística trabalha em centros de distribuição, empresas de encomendas, portos, aeroportos, terminais de carga, transportadoras, shoppings centers, supermercados e em empresas em geral – sobretudo as que fazem entregas online. 

Sua presença também é imprescindível nos setores de comércio, indústria e agronegócio para negociar fretes, lidar com o armazenamento de mercadorias e fazer estudos sobre terceirização da logística a fim de elevar a lucratividade. Também atua com transporte de carga e sua roteirização, e importação e exportação de mercadorias, cuidando da documentação exigida nessas operações. Pode, ainda, dar consultoria na área. Grandes centros urbanos, como São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre, são os melhores mercados.

Curso

Muitas faculdades aceitam o ingresso ao curso por meio do Enem, e as notas de corte variam de cidade e estado. A nota de corte média, segundo dados do Sisu, era de 625.10 no Enem, um valor aproximado levando em consideração as 13 faculdades que ofertam o curso. 

A maior parte da oferta desse curso hoje em dia está nas modalidades tecnológico (2 anos) ou técnico (1 ano). A diferença entre ambos, além do seu tempo de duração, está principalmente na grade curricular. Os dois são mais focados na prática do que o bacharelado, mas o curso técnico vai familiarizar o aluno em conceitos de legislação tributária, informática,  gestão de recursos materiais e patrimoniais, sistemas de transporte e distribuição logística, embalagem, projetos logísticos, administração, entre outros.

Já o tecnológico tem acesso a todas elas também, e mais algumas matérias teóricas, como marketing, economia, finanças, ética, introdução ao direito etc. Há também algumas matérias mais conceituais, como empreendedorismo, inovação e economia criativa, ética, cidadania e sustentabilidade, soluções logísticas de classe mundial, modelos de gestão, entre outros. Os salários para esse tipo de formação profissional também costumam ser maiores que o técnico, bem como a oferta hierárquica de trabalhos.

Os dois podem ser oferecidos no formato presencial ou a distância, e são focados no dia a dia do profissional. Suas finalidades são capacitar o aluno para que ele esteja apto a desempenhar uma logística de transporte, planejar estoques e modelos de transporte, operacionalizar um armazém, analisar custos, criar sistemas de qualidadetudo para uma rápida inserção do mesmo no mercado de trabalho competitivo.

Não esqueça do mais importante: verifique sempre se o curso e a sua instituição de escolha são reconhecidos pelo MEC.

Outro nome: Gestão de Logística; Gestão em Logística; Gestão Logística; Engenheiro Logístico

Fique de Olho

PAÍS É 55º EM RANKING DE LOGÍSTICA
Divulgada pelo Banco Mundial a cada dois anos, a lista de 2016, liderada pela Alemanha, mede a eficiência do setor em 160 países. O Brasil avançou dez colocações entre 2014 e 2016, mas há muito a melhorar. Segundo o relatório, o país precisa avançar em itens como custo, pontualidade e embarque internacional, o que deve aquecer a procura por profissionais da área.

POR TRÁS DA TELA DO COMPUTADOR
O crescimento do comércio online ampliou o mercado para os graduados em Logística. Eles passaram a ser demandados por sites de comércio eletrônico e empresas que vendem mercadorias pela internet. Cabe a eles garantir que a mercadoria seja entregue no destino com rapidez e eficiência. “Você compra um produto na China, e ele tem de chegar a sua casa intacto e no prazo estabelecido”, diz o professor Romeu Zarske de Mello, coordenador do curso da Univali, em Itajaí (SC). “Quem cuida disso é o profissional de Logística”.

O que você pode fazer

Armazenagem: determinar como uma mercadoria será armazenada para manter suas características originais, de modo a evitar perdas e gerar novos custos.

Compras: identificar fornecedores, fazer cotações e negociar preços e prazos de entrega de mercadorias.

Expedição: controlar o estoque, a entrada e a saída de mercadorias de um centro de distribuição.

Gestão: gerenciar centros de distribuição, cuidando de toda a parte operacional, desde a contratação de funcionários até o armazenamento, saída e transporte de mercadorias.

Transporte: determinar o meio em que a mercadoria será transportada, como avião, carro ou caminhão, a melhor rota a ser realizada considerando tempo e custo, calcular frete e determinar como o produto será embalado.

Mercado de Trabalho

O mercado para este profissional é amplo. “Em um país do tamanho do Brasil, tudo tem de ser muito bem planejado. Uma boa gestão da área de logística aumenta a eficiência e reduz custos”, diz Romeu Zarske de Mello, coordenador do curso da Univali, em Itajaí (SC). Segundo ele, as empresas ainda estão começando a organizar suas áreas de Logística, o que é favorável para esse graduado.

Ele é contratado por estabelecimentos dos setores de comércio, indústria e agronegócio para negociar fretes, lidar com o armazenamento de mercadorias e fazer estudos sobre terceirização da logística a fim de elevar a lucratividade. Também atua com transporte de carga e sua roteirizarão, e importação e exportação de mercadorias, cuidando da documentação exigida nessas operações. Pode, ainda, dar consultoria na área. Grandes centros urbanos, como São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre, são os melhores mercados.

Curso

O bacharelado mescla disciplinas de Ciências Exatas, como estatística e matemática, e de Sociais Aplicadas, como administração e marketing. A maior parte do currículo, porém, traz matérias específicas da área, como legislação aduaneira, comércio exterior, gestão da qualidade, modais de transporte e logística internacional. O trabalho de conclusão de curso é obrigatório e algumas escolas pedem a realização de estágio.

Duração média: 4 anos.

 

A grade curricular dos cursos tecnológicos não difere muito da dos bacharelados, só que é mais focada na prática. O aluno estuda logística de transporte, planejamento de estoques, modais de transporte, operação de armazém, análise de custos e sistemas de qualidade. Marketing e administração também fazem parte do currículo em algumas instituições.

Duração média: 2 anos.

Outro nome: Gestão de Log.; Gestão em Log.; Gestão Log.

 

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado