Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Aluna de Medicina da UFSCar pode ser expulsa por suspeita de fraudar cota para índios

Conselho de Graduação pediu o desligamento da estudante da universidade

Por da redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h39 - Publicado em 13 abr 2012, 12h48

O Conselho de Graduação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) decidiu desligar uma estudante do curso de Medicina, suspeita de fraudar o sistema de cotas para indígenas na instituição.

A denúncia foi feita no momento em que a aluna ingressou na universidade, em 2011. Foi formada então uma comissão de inquérito, composta por antropólogos, docentes e indigenistas, que analisou o caso e constatou que a estudante não comprovou o vínculo com a comunidade indígena. O critério é obrigatório para o ingresso na UFSCar pelo Programa de Ações Afirmativas da Universidade.

Com isso, o Conselho de Graduação da UFSCAr decidiu pelo desligamento da jovem. Atualmente, diante de um recurso apresentado pela estudante, a aluna permanece frequentando normalmente as aulas e a decisão final será levada ao Conselho Universitário, após parecer da Procuradoria Jurídica da UFSCar.

LEIA MAIS

– Notícias de vestibular e Enem

Continua após a publicidade

Publicidade