Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Com grande oferta de cursos no Sisutec, área de Tecnologia da Informação tem mercado aquecido

Faltam profissionais qualificados para preencher os postos de trabalho disponíveis

Por Ana Prado Atualizado em 16 Maio 2017, 13h42 - Publicado em 19 ago 2014, 15h24

 

Informática é uma das áreas de maior destaque do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec), que oferece vagas gratuitas em cursos técnicos profissionalizantes em instituições públicas e particulares. Segundo o MEC, nesta edição de meio de ano foram oferecidas 21.819 vagas para técnico em informática; 7.950 para redes de computadores; 5.475 para informática para internet; 4.969 para computação gráfica; 4.512, para programação de jogos digitais e 3.713 para manutenção e suporte em informática.

– Faça sua inscrição no Sisutec
– Saiba mais sobre o perfil de um estudante da área de Ciências Exatas e Informática

A grande oferta de cursos condiz com a enorme procura por esses profissionais: a expansão do mercado de trabalho na área tem sido tão rápida que há mais vagas disponíveis do que pessoas qualificadas para preenchê-las. “O mercado de informática sempre foi muito forte, mas está num momento ainda melhor porque, hoje, as informações precisam ser tratadas com mais rapidez do que nunca. Assim, não existem empresas, nem as de pequeno ou médio porte, que não precisem de um profissional para gerenciar bancos de dados, permitir a disponibilização das informações para o cliente e dar suporte técnico para a conectividade (interna e externa) da empresa. O profissional de TI é sempre uma pessoa muito procurada nesses três grandes eixos”, explica Francisco Borges, presidente do Sistema ETB de Ensino Técnico.

Um estudo realizado para a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (BRASSCOM) em 2011 revelou que poderia haver uma carência de pelo menos 45 mil profissionais até 2014 – e a situação tende a piorar. Segundo um relatório da Associação para Promoção da Excelência do Software (Softex) publicado no ano passado, pode haver um déficit de aproximadamente 408 mil profissionais em 2020. Francisco explica que isso prejudica o país, pois grandes empresas acabam deixando de desenvolver tecnologias aqui e tendo de buscá-las em outros locais, com profissionais estrangeiros.

Como é a formação técnica na área

Como em outras profissões, o salário aumenta conforme a qualificação. Mas já é possível ter um salário razoável no mercado de TI com um diploma de nível técnico. Depois, o estudante pode fazer um curso superior ou específico, para obter a certificação em determinada tecnologia. Nessa área, há também muitos autodidatas: pessoas que aprendem “fuçando” ou com tutoriais na internet. “Existem também clubes de programação, nos quais os jovens são estimulados a aprender a programar em conjunto, sem professor, para serem profissionais com uma visão mais ampla”, acrescenta Francisco. Mas ele alerta que, embora seja possível trabalhar sem um diploma formal, muitas empresas, especialmente de TV e telefonia, exigem pelo menos um certificado na tecnologia que utilizam. E fazer um curso formal não é importante só para conseguir emprego. “Programadores autodidatas são como jogadores de futebol sem clube: eles podem ser bons, mas muitas vezes não têm tanta técnica”, compara.

Saiba mais sobre os cursos técnicos disponíveis no Sisutec (todos com duração de 1.000 horas)*

Técnico em Informática 
Desenvolve programas de computador, seguindo as especificações da lógica e das linguagens de programação. Utiliza ambientes de desenvolvimento de sistemas, sistemas operacionais e banco de dados. Realiza testes de programas de computador, mantendo registros que possibilitem análises e refinamento dos resultados. Executa manutenção de programas de computadores implantados.

Técnico em Informática para Internet
Desenvolve programas de computador para internet, seguindo as especificações da lógica e das linguagens de programação. Utiliza ferramentas de desenvolvimento de sistemas para construir soluções que auxiliam o processo de criação de interfaces e aplicativos empregados no comércio e marketing eletrônicos. Desenvolve e realiza a manutenção de sites e portais na internet e na intranet.

Qual a diferença entre Técnico em informática e Técnico em informática para internet?
O primeiro engloba um conceito mais amplo, enquanto o segundo é mais específico. Mas, nesses cursos técnicos com um ano de duração, a diferença é nas tecnologias trabalhadas. O técnico em informática para internet trabalha com aplicações na nuvem; o técnico em informática trabalha com dados armazenados em um servidor local.

Continua após a publicidade
Técnico em Computação Gráfica
Participa na elaboração e desenvolvimento de projetos de computação gráfica de duas ou mais dimensões, utilizando ferramentas de modelagem, ilustração, animação e educação de áudio e vídeo. Atua no desenvolvimento de simuladores digitais e maquetes eletrônicas.
Técnico em Manutenção e Suporte em Informática
Realiza manutenção preventiva e corretiva de equipamentos de informática, identificando os principais componentes de um computador e suas funcionalidades. Identifica as arquiteturas de rede e analisa meios físicos, dispositivos e padrões de comunicação. Avalia a necessidade de substituição ou mesmo atualização tecnológica dos componentes de redes. Instala, configura e desinstala programas básicos, utilitários e aplicativos. Realiza procedimentos de backup e recuperação de dados.
Técnico em Programação de Jogos Digitais
Compõe equipes multidisciplinares na construção dos jogos digitais. Utiliza técnicas e programas de computador especializados de tratamento de imagens e sons. Desenvolve recursos, ambientes, objetos e modelos a serem utilizados nos jogos digitais. Implementa recursos que possibilitem a interatividade dos jogadores com o programas de computador.
Técnico em Rede de Computadores
Instala e configura dispositivos de comunicação digital e programas de computadores em equipamentos de rede. Executa diagnóstico e corrige falhas em redes de computadores. Prepara, instala e mantém cabeamentos de redes. Configura acessos de usuários em redes de computadores. Configura serviços de rede, tais como firewall, servidores web, correio eletrônico, servidores de notícias. Implementa recursos de segurança em redes de computadores.

*Descrições obtidas do Catálogo de Cursos do Pronatec.

As oportunidades para quem tem formação técnica são grandes. “O técnico está para o músico assim como aquele que tem curso superior está para o maestro: são necessários muitos técnicos e poucos maestros. O MEC acertou ao estimular a oferta de cursos pelo Sisutec, pois o mercado de trabalho precisa desses técnicos de forma rápida”, avalia Francisco. O salário varia de acordo com a região e com a área de TI com a qual o profissional trabalha. “Em São Paulo, um técnico em informática em início de carreira não ganha menos de R$ 1.300 ou R$ 1.400. Um programador ganha, no mínimo, R$ 2 mil – e seu salário pode chegar a R$ 6 mil”, afirma.

Perfil procurado

O estudante precisa gostar de lógica e de números: embora as atividades variem de acordo com o curso, de modo geral, vai haver muito cálculo no dia a dia. Também é importante ser dedicado e ter iniciativa, pois, como as tecnologias evoluem rapidamente, esse profissional precisa estar sempre atualizado. E perseverança também é fundamental: segundo um relatório da BRASSCOM, o índice de evasão nos cursos de educação superior na área de TI no Brasil chegou a 87% em 2010.

Prazos do Sisutec

O prazo para a matrícula da primeira e segunda chamadas já acabou, mas as inscrições nas vagas remanescentes vão até esta quarta-feira, 20 de agosto, no site do Sisutec. Neste período, qualquer pessoa pode se inscrever gratuitamente, independentemente de ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – obrigatório para as primeiras chamadas. As vagas estão disponíveis em cursos e escolas nas cinco regiões do País.

 

Veja também

– Página de profissões do GE

Continua após a publicidade
Publicidade