Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Como escolher onde estudar – Resolvendo dilemas

Pedimos a coordenadores de dois cursinhos algumas dicas para resolver certos impasses que podem surgir na escolha de uma faculdade

Por Ana Prado Atualizado em 16 Maio 2017, 13h32 - Publicado em 6 ago 2012, 20h30

– Leia também: Quais os fatores mais importantes na hora de escolher em que faculdade estudar?

Não passei na universidade pública que eu queria na minha cidade. Escolho uma faculdade particular ou vou para uma pública em outro estado?

Professor Alberto Francisco do Nascimento, do curso Anglo: "É preciso avaliar se a família tem condições financeiras de pagar uma faculdade. Se não tiver, a pública é o caminho natural. Ainda assim, haverá gastos, mas o aluno poderá morar em um alojamento estudantil e isso não deve sair caro.

Para ajudar na decisão, é bom avaliar como se saem no mercado de trabalho os alunos que se formam em cada uma delas. Mas é claro que essa é uma conquista de cada um. Você até pode estudar em uma faculdade que não seja tão boa, mas se for esforçado, dedicado e batalhador, isso já vai contando pontos."

Professor Célio Tasinafo, da Oficina do Estudante: "Se sua família tem condições de arcar com os custos de uma instituição particular e ela for boa, você sairá com uma formação. Às vezes, a diferença entre uma universidade particular e uma pública é só o boleto no fim do mês.

Ainda em relação aos custos, tenha em mente que a mudança de estado ou cidade também custa dinheiro. Você precisará pagar moradia, alimentação, contas etc. Avalie se a mudança compensa.

Considere também as oportunidades de estágio e pesquisa que você terá caso se mude. Se quer seguir a carreira acadêmica, vale tentar entrar em uma universidade pública no interior; se deseja ir logo para o mercado de trabalho, talvez compense pagar uma particular e ficar morando na cidade. Tudo depende da situação e do seu objetivo.

Estou há muito tempo fazendo cursinho e não consigo passar na universidade que desejo. Até que ponto vale a pena insistir?

Professor Alberto: "Se o aluno não teve uma boa formação básica, é normal que passe dois ou até três no cursinho até conseguir passar em um vestibular concorrido. Mas se já é o seu quinto ano lá, algo está errado – e pode ser sinal de que ele nem quer tanto assim passar naquela instituição, mas a família está influenciando para que continue tentando. Neste caso, é melhor partir logo para um vestibular menos concorrido do que ficar perdendo mais tempo no cursinho. Mas só dou esse conselho para alunos que já nao aguentam mais."

Professor Célio: "Enquanto a pessoa acreditar que vale a pena e tiver isso como um sonho, vale insistir. Mas se ela começar a questionar a validade de todo o esforço ou a importância de atingir o objetivo, pode ser hora de considerar outras opções. Quando a pessoa se cansar, acabará deixando de se empenhar tanto (e começará a faltar às aulas do cursinho, por exemplo) e terá cada vez mais dificuldade para passar no vestibular.

Mas se esse ainda for o sonho e a pessoa desistir, correrá o risco de ficar se culpando pela decisão toda vez que aparecer alguma dificuldade profissional.

Continua após a publicidade

De uma maneira geral, acredito que valha a pena lutar até o fim para entrar em uma universidade pública se a pessoa gosta de estudar e quer trabalhar com pesquisa. Para quem quer ir logo para o mercado de trabalho, ou já está nele e só quer um diploma, talvez não compense tanto.

Melhor uma faculdade "mais ou menos" boa perto de casa ou uma muito boa longe?

Professor Alberto: Se você tem uma dúvida desse tipo, significa que não está preocupado em ter a melhor formação. Quando as pessoas querem isso, encaram desafios e sacrifícios. Mesmo que a faculdade seja longe e o caminho até lá seja ruim, elas não têm dúvidas em escolhê-la caso o ensino seja o melhor. Nesse caso, sacrificam o hoje para colher os benefícios no futuro.

Professor Célio: Se a universidade mais distante for muito mais conceituada que a outra, melhor passar pelo período de dificuldade e ter uma formação melhor. Se a diferença não for tão grande, ou estiver relacionada apenas ao nome da instituição, pode compensar escolher a mais próxima.

Avalie a infraestrutura da faculdade, o mercado de trabalho ao redor e os gastos que você terá. Considere quanto a decisão custará no futuro. O mais fácil pode ficar caro depois e gerar arrependimentos, questionamentos e dúvidas.

Caso pense em mudar apenas para ficar mais perto de casa, não mude. As coisas não vêm de um jeito fácil na vida e às vezes é necessário fazer certos sacrifícios.

Leia também
Como escolher onde estudar: os fatores mais importantes para levar em consideração
Confira dicas para escolher sua carreira
Tudo sobre o Enem

Minha família não tem muitos recursos. Até que ponto posso pensar em me endividar para pagar uma faculdade?

Professor Alberto: "Esse é um fator importante porque já vi muitos casos em que a família orienta o aluno a fazer uma faculdade cara e diz que vai dar um jeito. Então eles vendem a casa na praia, o carro e depois de três anos já não têm mais de onde tirar o dinheiro. Endividar a família para financiar uma faculdade só vale se for uma Harvard da vida. Caso contrário, é melhor não fazer isso. Hoje existem programas de financiamento estudantil como o Fies, então vale ir atrás disso se o aluno se encaixar no limite de renda per capita estabelecido.

Professor Célio: O aluno precisa ter convicção de que está fazendo um curso de que gosta muito. Tem de ter paixão e ver se é mesmo a sua vocação. Se for, ele logo vai conseguir um emprego, subir na carreira, ter uma melhor remuneração e conseguir de volta o que investiu. Se, por outro lado, escolheu o curso e a faculdade pensando em ganhar dinheiro logo, o esforço não vai compensar – a sua expectativa de ganho será enorme e, não tendo isso de forma imediata, ele se decepcionará. Na dúvida, não faça.

Não estou conseguindo pagar minha faculdade. Mudo para uma mais barata ou tranco e volto depois?

Professor Alberto: "O melhor é trancar, trabalhar para juntar dinheiro e depois voltar. Ou tentar um financiamento do governo. O Fies é bacana porque você só paga depois de formado e com juros baixos. Mudar de faculdade não é uma boa opção porque as mais baratas, em geral, não têm a mesma qualidade. Você vai deixar um lugar em que está se desenvolvendo e partir para um ruim?"

Professor Célio: "Mudar para uma faculdade mais barata significa perder em qualidade: bons professores custam caro. Se é uma situação circunstancial, compensa trancar e esperar até que ela se resolva para, então, voltar àquele curso. Mas se você já estiver bem colocado no mercado de trabalho, não está conseguindo aproveitar bem os estudos e só está pensando em conseguir logo o diploma, pode compensar mudar para um lugar mais barato. Mas só aconselho trocar em último caso. Se a faculdade é mais cara, é porque ela é melhor."

Continua após a publicidade
Publicidade