Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Como estudar a 30 dias do vestibular da Unicamp

Professores dão dicas de como se preparar e aproveitar bem os últimos momentos antes da prova da Unicamp

Por CAROLINA VELLEI Atualizado em 16 Maio 2017, 13h32 - Publicado em 14 out 2011, 13h22

Daqui a 30 dias, mais de 61 mil estudantes farão o vestibular 2012 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que será aplicado em 13 de novembro. Com a proximidade da prova, fica a dúvida: é hora de diminuir o ritmo ou de estudar ainda mais?

Para a coordenadora do cursinho do XI, Augusta Aparecida Barbosa, o melhor é continuar com o ritmo de estudos que o aluno adquiriu ao longo ano e só parar dois dias antes da prova. “É melhor seguir a rotina para não ter a sensação de ter esquecido tudo no dia do exame”, comenta.

Mais do pensar no quanto ainda tem para estudar, a coordenadora do Cursinho da Poli, Alessandra Venturi, diz que não importa a quantidade de horas estudadas por dia. “É essencial que o tempo dedicado tenha qualidade”, afirma. Ela ainda recomenda que o aluno seja fiel ao estudo durante a hora que se propor a fazer isso, principalmente nos últimos dias.

O vestibular
Além de manter os estudos em dia, treinar para a prova é fundamental. Desde 2010, o vestibular da Unicamp ficou mais trabalhoso, com 48 questões de múltipla escolha e três redações.

A coordenadora Augusta Aparecida Barbosa explica que, por conta do tempo, os examinadores não cobram que as redações sejam muito longas, o que ajuda na resolução da prova e otimização do tempo. Mesmo assim, é importante fazer simulados no formato do exame, para treinar o tempo de resolução de cada questão e das redações.

Uma dica dos professores para treinar para a prova é resolver o vestibular da Unicamp do ano passado e o simulado que a própria universidade disponibilizou antes de mudar o formato da prova.

Confira as dicas de estudo para cada disciplina da prova

MATÉRIA DICAS FIQUE ATENTO
Geografia

– A prova avalia a capacidade de leitura do candidato. Pratique questões com gráficos, tabelas e aprenda a ler mapas. A Unicamp não cobra atualidades como decoreba.

– Podem cair notícias de jornais pedindo para o aluno relacionar a um conceito. Um tema interessante é o Censo 2010, divulgado esse ano, já que população é um tema recorrente da Unicamp

.

– Interdisciplinaridade entre parte física e humana. Uma questão sobre cerrado pode ser relacionada com a ocupação humana, com o desmatamento pela agricultura, expansão das frentes pioneiras.

– Vale a pena estudar a parte de energia, principalmente no Brasil, que faz uso de energia limpa: biomassa (a partir da cana), hidráulica.

História

– É importante não se fechar em conteúdos específicos de História. O aluno deve estudar um pouco de cada fase (antiga, medieval, contemporânea).

– Além disso, podem cair conteúdos de Filosofia e Sociologia relacionados à prova.

 

– Desde a mudança do formato de questões, é exigido que o aluno saiba interpretar imagens e fazer análises com base no que for oferecido.

– Treine com a prova do ano passado e marque no enunciado as informações pedidas para não se atrapalhar com as respostas.

Biologia

– Para a prova, é preciso estudar, principalmente, ecologia, grupos animais, fisiologia animal, biologia celular e genética.

– Evolução biológica e grupos vegetais costumam cair mais na segunda fase, mas é bom dar uma olhada também.

Continua após a publicidade

– É preciso concentrar-se no conteúdo. A prova da Unicamp é bem conceitual.

– O foco maior na primeira fase deve ser dado nas áreas de genética e ecologia.

Química – Na primeira fase serão cobrados conceitos básicos de Química, com alguns cálculos menos complicados, comparado ao nível de exigência da segunda fase.

– Por seu caráter interdisciplinar, muitas questões poderão abordar temas atuais, como problemas atmosféricos, poluição, sustentabilidade.

– O aluno deve estudar principalmente transformações químicas e saber resolver as questões básicas que envolvam o conceito de mol e cálculo estequiométrico.

Matemática

– Todas as questões são contextualizadas e são apresentadas situações-problema. Nelas o candidato deve aplicar conceitos matemáticos, como equações de primeiro e segundo grau.

– É importante estudar funções, desde a elaboração do gráfico até sua interpretação (crescimento, taxa de variação).

– Fique atento à geometria plana e estude questões que envolvam triângulos (semelhança, área).

– Na geometria, mais do que decorar todas as fórmulas, o aluno precisa conseguir decompor uma figura desconhecida em outras que ele conheça a área.

– Dominar porcentagem também é essencial, já que isso pode facilitar até a resolução de matérias como geografia, que usam muitos dados estatísticos.

 

Física – Os últimos exames mostraram equilíbrio entre as áreas da Física, com questões de Mecânica, Eletromagnetismo, Termodinâmica, Óptica e Ondas. Por isso, é importante que nessa reta final o aluno tenha bom conhecimento dos conceitos básicos e não se apegue a apenas algumas fórmulas decoradas.

– A prova cobra a Física em situações cotidianas. É importante estudar as provas anteriores e fazer exercícios que também tenham esse perfil.

– Na prova anterior foram apresentadas situações a partir de objetos comuns, como uma fita adesiva ou um radar de trânsito

 

Redação

 – A prova de redação cobra que o aluno tenha domínio de linguagens variadas e comuns ao dia-a-dia das pessoas. Não será surpresa se a prova pedir para o candidato escrever um bilhete ou uma mensagem pelo Facebook fingindo ser alguém.

 – “Encarnar o personagem” é um dos pontos mais importantes. Saber lidar com a situação colocada pela proposta também é fundamental.

– Treine textos diversos, colocando-se no lugar do personagem e demonstrando isso por meio da linguagem. Por exemplo, se é um adolescente, utilize uma linguagem mais descontraída (mas não cometa erros de português ou faça abreviações como na internet – a não ser que isso seja pedido).

FONTES: Geografia – Professor Reinaldo Scalzaretto, do Cursinho Anglo; Redação – Professora Vivian D’Angelo, do Cursinho do XI; História – Professor Elias Feitosa de Amorim Junior, do Cursinho da Poli; Física – Francisco Flavio Ribeiro Viana, do Cursinho do XI; Química – Hamilton Bigatão, do Cursinho da Poli; Biologia – Armênio Uzunian, do Cursinho Anglo; Matemática – Professor Eduardo Izidoro Costa, do Cursinho da Poli; Professora Augusta Aparecida Barbosa, coordenadora do Cursinho do XI e Professora Alessandra Venturi, coordenadora do Cursinho da Poli.

LEIA TAMBÉM

– Notícias de vestibular e Enem

Continua após a publicidade
Publicidade