Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Exame do Cremesp reprova mais da metade dos recém-formados em Medicina

Na prova, que se tornou obrigatória este ano, 54% dos novos médicos não conseguiram a nota mínima

Por da redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h42 - Publicado em 7 dez 2012, 18h54

Em novembro, cerca de 3 mil formandos de medicina fizeram o exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). A prova, que está em sua oitava edição, passou a ser obrigatória para a concessão do registro profissional no estado a partir deste ano.No entanto, mais da metade dos recém-formados foram reprovados no exame. Do total de participantes, 54,5% acertaram menos de 60% da prova, ou seja, menos de 71 das 120 questões.

O exame contou com a presença de estudantes das 28 escolas médicas paulistas que funcionam há mais de seis anos, além de estudantes de outros estados que irão se registrar no Cremesp e atuar em São Paulo. Desses, 119 tiveram as provas invalidadas (114 de São Paulo e cinco de outros estados), sendo que 86 boicotaram o exame, assinalando a letra “b” em todas as questões, e 33 apresentaram outros padrões de respostas consideradas pelo Cremesp como inconsistentes.

O exame teve 120 questões objetivas de múltipla escolha que abrangem problemas comuns da prática médica, incluindo diagnóstico, tratamento e outras situações, em nove áreas básicas: clínica médica, clínica cirúrgica, pediatria, ginecologia, obstetrícia, saúde mental, epidemiologia, ciências básicas e bioética.

Os resultados apontam que o percentual de acertos da prova foi maior entre os cursos de instituições públicas: foram 63,74% de acertos contra 54,38 % de escolas particulares.

Continua após a publicidade

De acordo com o Cremesp, o comprovante de participação na prova será exigido para o registro profissional do médico no órgão, mas o registro não dependerá do desempenho ou da aprovação no exame. O resultado é confidencial. “Por força de lei, o Cremesp não pode condicionar o registro à aprovação em um exame. Isso exigiria uma lei federal, como a que instituiu o exame da OAB [Ordem dos Advogados do Brasil], o que está em tramitação no Congresso Nacional”, informou o conselho em nota.

Os inscritos que faltaram ao exame do Cremesp no dia 11 de novembro deverão apresentar justificativa.

 

*Com informações da Agência Brasil

LEIA MAIS

– Notícias de Vestibular e Enem

Continua após a publicidade
Publicidade