Clique e assine GE Play por R$16,90

Greve em federais afeta 75% das vagas ofertadas pelo Sisu

Mais de 50 instituições estão parcialmente paralisadas; greve já dura mais de 30 dias

Por da redação - Atualizado em 16 Maio 2017, 13h50 - Publicado em 18 jun 2012, 16h50

Do total de 30.548 vagas disponíveis no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre, cuja inscrição começou nesta segunda-feira (18), 75% (ou 22.902) estão em universidades e institutos federais em greve.

– Entenda o Sisu passo a passo

– Sisu oferece mais de 10 mil vagas em cursos noturnos

– Sistema dispõe de mais de 6 mil vagas em cursos de licenciatura

– Faça sua inscrição para o Sisu

Com exceção da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) – que mantém indicativo de greve, mas ainda não aprovou a adesão -, todas as universidades federais participantes do Sisu aderiram à paralisação. As instituições que não estão em greve são institutos e universidades estaduais.

Professores e servidores de escolas técnicas federais também aderem à greve

A paralisação dos professores já atinge 55 instituições federais de ensino superior e completou um mês no domingo (17) sem perspectiva de acabar, o que pode prejudicar o calendário das universidades e a matrícula dos novos alunos. A principal reivindicação dos docentes é a reestruturação do plano de carreira.

– UFMG suspende matrículas por causa de greve

Agora, os servidores técnicos administrativos e os professores dos institutos federais de educação tecnológica em todo o país decidiram aderir à greve a partir desta terça-feira (18). Liderado pelo Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe), o movimento atuará em conjunto com a greve dos professores das federais.

A categoria reivindica, entre outros pontos, a reestruturação das carreiras técnicas e dos docentes, a democratização das relações de trabalho e a aprovação da carga horária de 30 horas para os técnicos administrativos. A paralisação deve atingir 40 mil servidores.

Continua após a publicidade

O Ministério do Planejamento, responsável pelas negociações, marcou para esta terça-feira uma reunião para discutir propostas, mas a opinião geral é de que a greve não deve terminar.

O Sisu

O Sisu foi criado pelo O Ministério da Educação (MEC) para selecionar estudantes em instituições públicas com base nas notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). No sistema, é possível localizar cursos e vagas por localidade e instituição de ensino.

A partir do dia 18, ao longo do período de inscrições, a classificação parcial e a nota de corte dos candidatos serão divulgadas diariamente no portal do Sisu para consulta. Lá mesmo será possível tirar dúvidas sobre notas de corte, datas das chamadas, período de matrículas nas instituições, resultados e lista de espera.

– Faça o download do calendário do Sisu em PDF para não esquecer as datas!

No dia 25 de junho será divulgado o resultado final. Os aprovados em primeira chamada devem fazer a matrícula entre os dias 29 de junho e 9 de julho. Os selecionados para a segunda opção ou que não atingirem a nota mínima em nenhum dos dois cursos escolhidos podem permanecer no sistema e ser convocados na chamada seguinte, a partir de 13 de julho. Quem não for selecionado em nenhuma das chamadas pode pedir inclusão em lista de espera.

O candidato aprovado na primeira opção de curso será automaticamente retirado do sistema e, caso não faça a matrícula na instituição para a qual foi selecionado, perderá a vaga.

 

Com informações da Agência Estado e da Agência Brasil

 

LEIA MAIS

– Notícias de vestibular e Enem

Continua após a publicidade
Publicidade