Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Inscrições para o Sisu terminam às 23h59 de hoje; veja dicas para escolher seu curso

Sistema já tem mais de 2,3 milhões de inscritos, cerca de 46% dos 5 milhões de estudantes que fizeram o Enem

Por da redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h54 - Publicado em 10 jan 2014, 16h35

Terminam nesta sexta-feira (10) as inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Os candidatos têm até as 23h59 para se inscrever ou mudar suas opções de curso no site do sistema. O Sisu seleciona estudantes para instituições públicas de educação superior com base nas notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2013 – portanto, é obrigatório ter participado do exame e não ter tirado zero na prova de redação. Nesta primeira edição de 2014, são oferecidas 171.401 vagas em 4.723 cursos de 115 instituições. Até as 10h de hoje, o número de candidatos estava em 2.316.938, segundo balanço do Ministério da Educação (MEC). O número corresponde a cerca de 46% dos 5 milhões de estudantes que fizeram o Enem de 2013.

As notas de corte foram atualizadas a cada dia ao longo da semana, e só serão consolidadas ao final do período de inscrições. Além disso, as listas de classificação no Sisu geralmente têm uma rotatividade alta (leia o item 6 abaixo). Assim, como define o coordenador de vestibular do Anglo, Alberto Francisco do Nascimento, “o Sisu é uma espécie de jogo feito às escuras” e é bom ter em mente algumas estratégias para aproveitar bem esta oportunidade de entrar em um curso superior:

1) Se você ainda não fez isso hoje, pode ser uma boa entrar novamente no sistema neste último dia para consultar as notas de corte e, se for o caso, alterar suas opções de curso. Se a sua nota está bem acima da nota de corte e o curso é o de sua preferência, pode ficar mais tranquilo (embora você só vá descobrir se passou mesmo ou não na segunda-feira, 13, quando sai a primeira chamada de aprovados). Se a nota estiver abaixo, é preciso analisar certos fatores, especialmente o número de vagas oferecidas. "A lista de classificação de um curso com poucas vagas roda pouco, enquanto a de um com mais vagas roda bem mais", diz o professor Alberto. É possível fazer alterações até as 23h59 (horário de Brasília) desta sexta. Será considerada válida a última inscrição confirmada.

2) Escolha um curso que você realmente gostaria de fazer. Nada de se inscrever para uma vaga qualquer só porque a nota de corte é baixa. De que adianta passar em um curso se há grandes chances de você abandoná-lo depois? “Se sua nota for muito menor que a nota de corte e a concorrência for muito grande, o ideal pode ser escolher o mesmo curso em outra instituição com demanda ou note de corte menor”, diz o professor Célio Tasinafo, diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante. “Mas, se você se preparou o ano inteiro para determinada vaga, sugiro que permaneça fiel à carreira que escolheu. Mudar radicalmente de curso e abrir mão do que se quer aos 45 minutos do segundo tempo só para dizer que passou em algum vestibular não vale a pena”, completa.

3) Seja realista em relação à escolha de cursos em outra cidade. Antes de se inscrever para uma vaga em outra cidade, pense: “Eu realmente me mudaria para lá? Eu iria me adaptar à cidade? Estaria a quantas horas de distância da minha família? Conseguiria me manter financeiramente?”. Se não há opções em sua cidade, pode ser mais proveitoso se inscrever em um curso semelhante mais perto de casa ou esperar mais um ano ou semestre para tentar novamente na instituição que você quer. Avalie.

4) Se você realmente não tem preferência por nenhum curso ou tem várias opções, evite aquelas em que entraria por pouco. Após o fim das inscrições, as notas de corte ainda vão mudar uma última vez – que será a que vai definir quem são os aprovados – e você pode ter uma surpresa desagradável.

5) Escolha conscientemente a sua segunda opção. Mesmo que esteja tranquilo com sua primeira escolha, é bom ter um plano B. Para a segunda opção, o ideal é escolher um curso que ache bacana e no qual tenha chance de passar – e aí você pode ter que pesar o que é mais importante: escolher outro curso na mesma cidade ou mudar de curso e estudar em uma instituição mais perto de casa, por exemplo.

6) Na primeira opção, escolha o curso que seja prioridade absoluta para você, já que é a única que vai valer para a lista de espera. É claro que, se a nota de corte atual for muito maior que a sua nota no Enem, seria pouco realista esperar passar. Mas, se a diferença não for muito grande, pode valer a pena tentar mesmo assim. Lembre-se de que a) as notas de corte ainda vão mudar; b) muitos estudantes podem ter feito inscrição nesse curso como segunda opção ou como treineiros; c) haverá uma segunda chamada e d) tem ainda a lista de espera, que só vale para a primeira opção de curso. Pode participar dessa lista o candidato não selecionado em nenhuma das duas primeiras chamadas ou selecionado na segunda opção, tendo feito a matrícula ou não – desde que ele manifeste interesse pela vaga no período indicado para isso (veja o cronograma abaixo).

Também vale lembrar que a primeira chamada do Sisu é divulgada antes do resultado de grandes vestibulares como o da Unicamp, Unesp e a Fuvest, e muitos estudantes que se matricularam pelo Sisu podem desistir da vaga para entrar em uma dessas universidades. Por fim, haverá a segunda edição do Sisu no próximo semestre, com base também no Enem 2013. Apesar de nem todas as universidades oferecerem vagas na segunda edição do ano, a chance de passar pode ser maior, pois as notas de corte e o número de concorrentes geralmente são mais baixos.

Continua após a publicidade

 Cronograma do Sisu 2014/1

Início das inscrições 6 de janeiro
Fim das inscrições 10 de janeiro (às 23h59 do horário de Brasília)
Primeira chamada 13 de janeiro
Matrícula da primeira chamada 17, 20 e 21 de janeiro
Segunda chamada 27 de janeiro
Matrícula da segunda chamada 31 de janeiro, 3 e 4 de fevereiro
Inscrição na lista de espera 27 de janeiro a 7 de fevereiro (às 23h59)

 

ESPECIAL: Entenda como funciona o Sisu, que seleciona estudantes para universidades federais e estaduais

 

 

Leia mais:

 

– Sisu 2014 já contabiliza mais de 2,1 milhões de inscritos; concorrência entre cotistas cresce

– Notícias de vestibular e Enem

 

Continua após a publicidade
Publicidade